Segundo Encontro Regional de Minas reflete a força da União Nacional Camponesa!

Por Redação UNC

O Acampamento Lagoa Bonita em Arinos-MG foi palco do segundo Encontro Regional UNC Minas Gerais, o evento que aconteceu nos dias 08 e 09 de setembro e recebeu centenas de pessoas de todas regiões do país em um grande momento de trocas, formação e celebração da resistência e da luta do movimento.

Entre os presentes estavam diversas lideranças nacionais do movimento, com destaque para Comandante Carlos, Doutor Alexandre, do jurídico nacional, Antônio Carlos, coordenador da região sul, Tiago Lopes, dirigente do Goiás e a liderança do acampamento e dirigente de Minas, Antônio Ramos, o Tonho Crente. Durante suas falas eles reforçaram os valores pelos quais o movimento é baseado e um grande ponto ficou bem marcado nas discussões e cobranças que eles trouxeram à mesa: BARRACO VAZIO E CADASTRO SEM COMPROMISSO NÃO CONQUISTAM TERRA!

Preencher o cadastro e deixar o barraco sem ninguém, infelizmente, vem se tornando uma prática comum nos movimentos da Reforma Agrária, onde as pessoas acreditam que construir o barraco e pagar uma mensalidade basta para ter o direito da terra. Mas na UNC a gente trabalha diferente! Pra começar, nunca cobramos e nunca cobraremos NADA, NENHUM CENTAVO, dos nossos acampados e sindicalizados, muito pelo contrário, a nacional é quem manda recursos pras bases. Se alguém está cobrando alguma coisa, avise a direção nacional porque na UNC nós REPUDIAMOS essa prática. Deixar o barraco de pé e passar a maior parte do tempo longe dos acampamentos não será mais aceito, pois no nosso movimento QUEM CONQUISTA A TERRA É QUEM LUTA DE VERDADE POR ELA!

Para além dessas verdades que foram trazidas aos acampados e assentados, o evento também contou com a ilustre presença de três grandes guerreiros de Barra Velha, a Aldeia-Mãe dos índios Pataxó. O professor Alessandro, o pajé Aruaro e nosso grande cacique e liderança maior, Cacique Surui, vieram da Bahia para compartilhar um pouco de sua trajetória de luta e resistência e mostrar aos companheiros que nossos problemas são os mesmos e que somente juntos seremos capaz de acabar com eles.

Quem também marcou presença foram os meninos da Frente Radiofônica da Rede dos Caracóis, uma articulação entre camponeses, indígenas, quilombolas, povos de terreiro e periféricos em que a UNC é peça fundamental. Composto por pessoas do Pará, Paraná, Maranhão, Rio Grande do Sul e Pernambuco, os membros da Frente Radiofônica contaram aos acampados suas experiências, explicaram para o pessoal os conceitos de comunicação LIVRE, tecnologias LIVRES e como, pouco a pouco, é possível mudar os hábitos da comunidade para que se trabalhe com mais autonomia e com menos dependência das grandes empresas de comunicação e tecnologia.

No final das contas foi mais uma experiência incrível de integração, evolução e renovação das perspectivas de luta para o estado de Minas Gerais e também para o movimento em todo o Brasil. Saímos mais fortes, mais espertos e muito mais preparados para o que der e vier. Avançamos sempre em direção ao sonho da terra pra produzir, plantar e viver com dignidade!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *