NASCE O PROJETO ERA, UM NOVO TEMPO DA AGRICULTURA FAMILIAR

da Redação

 

Teodoro Sampaio, a 660 km da capital paulista, é o marco zero de uma nova era na agricultura familiar. Em entrevista para a SECOM, o Secretário da Agricultura e Empreendedorismo Rural da CONAFER, Paulo Henrique Souza, fala sobre o Projeto ERA, a Estação Empreendedora Rural Agroecológica, elaborado pela SAER, a Secretaria Nacional de Agricultura e Empreendedorismo Rural. O ERA nasceu para ajudar a cumprir diversas demandas: regularização fundiária, busca por escrituração e titularização de terras; fortalecimento do crédito para produção; garantia do comércio com valor agregado; modernização dos processos produtivos; valorização, fortalecimento e reconhecimento do agricultor como produtor agrícola. A implantação do programa faz parte de uma jornada de conquistas da CONAFER e representa uma vitória de todos os coordenadores regionais, diretores e secretários, especialmente Paulo Henrique Souza. Ele afirma que o “ERA veio para dar uma resposta ao agricultor familiar, assentados, pescadores, indígenas, quilombolas e outros povos tradicionais. O projeto surge para organizar e tornar viável a produção desse setor econômico.”

Redação CONAFER: Quais demandas o ERA vem cumprir e o que ele visa fortalecer?

Paulo Henrique: Identificando os desafios desse setor, percebemos que o problema maior do produtor era consolidar sua produção com a renda obtida pela comercialização de seus produtos. Muitos agricultores familiares não diversificam sua produção, acabam ficando presos às monoculturas, visto que o produto ou cultura trabalhada pode variar de região para região. O resultado desse conjunto era um déficit em sua receita anual. Analisando essa barreira, trazendo para a matemática da agricultura, nasce o ERA, com um leque de opções para o produtor escolher com o qual ele mais se identifica para implantar em sua propriedade. A ideia é que o agricultor possa consorciar sua produção sempre com outra, animal ou vegetal, garantindo uma renda nos 12 meses do ano.

RC: Como será realizada a avaliação do ERA e quais culturas terão benefício imediato?

PH: Nossos produtos sempre terão um valor mais agregado devido ao sistema de produção que iremos utilizar, o agroecológico/orgânico junto com os selos disponíveis como do SENAF (selo nacional da agricultura familiar) e o Selo ORGÂNICO de produção que traz mais confiabilidade e rastreabilidade ao consumidor. Alguns exemplos que teremos em nossa estação são: produção de leite, ovo, frango, peixe, cogumelo e culturas vegetais em ambiente controlado por estufas. Todo o processo é agroecológico e busca a sustentabilidade, como a utilização de cisternas para reservatório de água da chuva, com painéis solares para produção de energia para produzir uma agricultura de precisão, e assim isso reduzir o custo das produções. É importante lembrar que o ERA permite o acesso às carteiras de crédito oferecidas ao agricultor familiar.

RC: Quais as capacitações que o ERA vai fomentar?

PH: Outro ponto importante é que também iremos trabalhar com a capacitação da família produtora, trazendo três eixos de curso na qual ele poderá escolher: Produção Agrícola e Animal, Mercado e Empreendedorismo e Gestão de crédito. Todo esse suporte oferecido pela CONAFER busca fortalecer nossos empreendedores, uma força importante no desenvolvimento do país”, finalizou o Secretário.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *