Agricultoras fazem ato para pedir reforma agrária e cobrar ações do Incra, no Recife

FONTE: G1

Manifestação, parte da programação ligada ao Dia Internacional da Mulher, aconteceu na Zona Norte, na segunda-feira (9).

Um grupo de agricultoras realizou um protesto em frente à sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), na Zona Norte do Recife, na manhã desta segunda-feira (9). Além de defender a reforma agrária e cobrar do órgão ações de assistência, o ato relembrou o Dia Internacional da Mulher, celebrado no domingo (8) (veja vídeo acima).

As mulheres eram de diferentes comunidades rurais e assentamentos da Zona da Mata, Agreste e Sertão do estado, segundo os organizadores. A agricultora Marilene Ferreira, de 53 anos, afirmou que o grupo reivindicou reforma agrária e buscou denunciar a situação das camponesas e a falta de assistência que o Incra deveria prestar a essas mulheres.

“O Incra não funciona. Deixa a desejar em questões de habitação, água, área de assentamento, não tem acompanhamento”, disse Marilene Ferreira, que é Tracunhaém, na Zona da Mata.

Agricultoras fizeram ato para pedir reforça agrária e ações do Incra em Pernambuco — Foto: Reprodução/TV Globo
Agricultoras fizeram ato para pedir reforça agrária e ações do Incra em Pernambuco 

O protesto interditou parte da Avenida Rosa e Silva, em frente à sede do Incra, das 11h30 às 12h. A Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) ficou responsável por organizar o trânsito.

O grupo, acompanhado por integrantes da Comissão Pastoral da Terra (CPT), levou faixas com os dizeres “Se o campo não planta, a cidade não janta” e “Reforma Agrária: direito dos povos, obrigação do Estado”.

Por telefone, a comunicação do Incra em Pernambuco informou que o superintendente estava em agenda externa nesta segunda-feira (9) e, por isso, não recebeu as integrantes do protesto. Como elas não teriam entregue a pauta na sede, o Incra informou que não sabia quais eram as reivindicações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *