FAERTO do Tocantins cadastra 680 associações no Sistema da CONAFER

Presidente e vice da Federação das Associações e Entidades Rurais do Tocantins, vieram a Brasília para a entrega de milhares de novos associados à CONAFER; além de conhecer a estrutura da Confederação e os seus projetos, já foram alinhadas ações para o sucesso desta parceria

Na foto, da esquerda para a direita: João Bosco, assessor do presidente da FAERTO; Elisangêla dos Santos Gonçalvez, presidente da APRAFEP-TO; Paulo Souza, Secretário da Agricultura e Empreendedorismo Rural; Pereira Lima, presidente da FAERTO; Pedro Firmino, Coordenador de Crédito Fundiário e Tiago Lopes, Secretário Geral da CONAFER

Segundo o presidente da FAERTO, Pereira Lima, a Federação do Tocantins estava em busca de uma parceria com uma entidade de representatividade nacional, que tivesse o respeito do seu segmento, conhecimento técnico e expertise na agricultura familiar, em condições de qualificar os seus associados, garantindo certificações à Federação, como a DAP, por exemplo, que a partir de agora pode ser emitida aos associados da FAERTO.

E a FAERTO encontrou na CONAFER, além das questões administrativas, técnicas e jurídicas decisivas em um relacionamento, uma Confederação autônoma, que trabalha com todas as categorias de agricultores, sem distinção, por todo o Brasil, onde a multidiversidade sócio-econômica e cultural se integram.

Durante a reunião, Tiago Lopes, Secretário Geral, falou da história da CONAFER, dos seus 10 anos e da sua caminhada a partir de agora, com novos projetos e a importância da Central de Relacionamento, do sistema que será um modelo para todo o segmento da agricultura.

Desde 2020, a CONAFER vem implementando novos produtos e serviços nas suas bases de associados. São programas para empreendedores rurais, voltados ao crédito fundiário, ao empreendedorismo das mulheres, pensados para consorciar os aposentados em atividade com os jovens da propriedade rural, de apoio ao melhoramento genético dos rebanhos dos pecuaristas agrofamiliares, para os aposentados pelo INSS, em territórios indígenas e quilombos, e que a partir de agora estão à disposição da FAERTO e dos seus milhares de agricultores e agricultoras.

Sejam todos muito bem-vindos à CONAFER.

Ministério da Agricultura anuncia medidas de estímulo a cooperativas

FONTE: EBC
Objetivo é melhorar as condições de venda da produção dos associados
A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, anunciou no dia 4 em sua conta oficial no Twitter, medidas voltadas a cooperativas, como a flexibilização de regras e a criação de um programa específico. As iniciativas visam fomentar o acesso a programas e estimular a venda da produção dos associados a cooperativas.
Foi assinada uma portaria alterando as regras para que cooperativas solicitem a Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP). O documento define quem pode ser classificado como produtor de agricultura familiar, funcionando como condição de acesso ao Pronaf e a outras políticas.
Pelas novas regras, associações com mais da metade de agricultores detentores de DAP ativa poderão requerer o documento. Antes a exigência era de 60% dos integrantes obedecendo essa condição.

Biodiesel

Tereza Cnisina anunciou também que enviará à Casa Civil da Presidência da Re´pública uma proposta para que cooperativas sem o DAP Jurídica obtenham o Selo Biocombustível Social. Assim, esses produtores poderão vender matéria-prima para empresas com atuação na produção de biodiesel.

Brasil Mais Cooperativo

Além disso, o Ministério da Agricultura lançou o programa Brasil Mais Cooperativo, que deve garantir assistência especializada a esses produtores. O propósito é auxiliar cooperativas que ainda têm dificuldade para planejar suas atividades no médio e longo prazos e necessitam de ações de modernização dos processos produtivos.
De acordo com Tereza Cristina, o programa pretende também ampliar o acesso das cooperativas e associações aos mercados privados e institucionais com parcerias entre entidades do governo e do cooperativismo.