Avicultura, a galinha dos ovos de ouro da agricultura familiar

da Redação

No Dia da Avicultura, lembramos desta cadeia produtora de alimentos que é uma das principais fontes econômicas das pequenas propriedades brasileiras

Todos os dias, pelo menos duas vezes pela manhã, milhões de agricultores familiares recolhem os ovos do seu plantel de galinhas depois de ouvir o som alto dos cacarejos. Uma rotina que se soma a diversos outros trabalhos na criação e produção de aves, desde a postura dos ovos até o corte da carne, para consumo próprio ou para comercializar. O resultado deste exército de agricultores é uma rica alimentação para milhões de famílias pelo Brasil e a posição do país entre os maiores produtores de ovos do mundo.

Sistemas agroecológicos de produção avícola, como a criação de frangos de maneira artesanal ou colonial (também conhecida como criação de frangos caipira), é caracterizada pela produção que não se enquadra na indústria de frangos de corte. Essa criação está diretamente relacionada a agricultura familiar e representa, em muitas experiências, uma das principais fontes econômicas de pequenas propriedades, assentamentos da reforma agrária e até mesmo de municípios.

A história da avicultura no país foi iniciada por produtores familiares, prática tradicional até hoje em milhares de quintais país adentro. A produção de leite, carnes bovina e suína, no início era voltada para subsistência, quando se realizava a comercialização apenas dos saldos excedentes em feiras livres e vizinhança.

De acordo com informativo do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, Cepea, e da Universidade de São Paulo, USP, a avicultura tornou-se uma atividade comercial pouco antes de 1930. Nesse período, o setor já se fortalecia com iniciativas originadas principalmente da região Sudeste, com a aceleração do desenvolvimento da atividade em São Paulo, a partir da chegada de imigrantes japoneses.
O desenvolvimento da avicultura foi acelerado pela industrialização na década de 70, com a entrada de empresas processadoras no mercado e especialistas no processo de produção industrial de frangos. Transformações tecnológicas, técnicas de produção intensiva e o desenvolvimento de genética adaptada contribuíram para a mecanização da atividade.

A avicultura no país atualmente é percebida como uma atividade econômica dinâmica. O crescimento per capita do consumo da carne de frango, principalmente por causa da qualidade do produto e de preços acessíveis, justifica transformação de hábitos alimentares, porque antes a carne bovina era a mais consumida.


A carne de frango teve aumento no consumo per capita/ano no ano de 2000 de 29 kg para 43,6 kg em 2017 de acordo com o Cepea/USP. Observa-se nesse mercado o predomínio de pequenas e médias empresas, cuja produção já colocou o país na oitava posição entre os maiores produtores mundiais de ovos em 2011.

Foto: Qualidade Online

Uma prática agroecológica importante na segurança alimentar

A avicultura familiar produz alimentos de alto valor nutritivo a baixo custo, aproveitando resíduos orgânicos de alimentos existentes na propriedade. Os gastos das instalações é bem menor do que os aviários industriais. Além disso, diminui-se despesas com antibióticos utilizados na ração para aves confinadas. As penas, após lavadas e secas, tem grande aproveitamento ao serem transformadas em excelente material para enchimento de travesseiros, almofadas e cobertores.

LEIA TAMBÉM:

Feijão, o alimento mais brasileiro mostra a força da agricultura familiar

Café, um estímulo ao crescimento da agricultura familiar

No dia a dia do seu trabalho, o pequeno produtor tem uma grande preocupação com o bem-estar dos animais, e o trajeto até o consumidor tem um custo menor, o que ajuda a vender um produto por um valor mais atrativo. Em todo o mundo, a opção pelo consumo dos produtos das propriedades de avilcutores familiares contribui para uma melhor saúde de todas as populações, ajudando na segurança alimentar do planeta.


Desafios da criação e consumo

No processo de produção na área avícola, um dos grandes desafios para criadoras e criadores é a adoção de práticas de manejo que contemplem com excelência as medidas de cuidado na produção familiar. Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, EMBRAPA, estes problemas se caracterizam pela inexistência de instalações e a ausência de práticas de manejo que contemplem as questões reprodutivas, nutricionais e sanitárias.

Oferecer proteína de origem animal com responsabilidade produtiva e ambiental tem sido um dos grandes êxitos de diversas experiências da avicultura familiar por todo o país. Diversas comunidades rurais têm obtido excelentes resultados de produção, sem problemas sanitários, sempre seguindo as normas legais e de exigências do mercado. Por isso, existem motivos de sobra para a celebração do Dia da Avicultura, principalmente para as iniciativas que possuem base agroecológica e familiar.

Capa: Canamix