CONAFER fortalece e consolida a Visão 2030 da Arábia Saudita no Brasil

da Redação

Com o objetivo de reduzir a dependência econômica da Arábia Saudita em petróleo, a estrutura estratégica da Visão 2030 da Arábia Saudita vem para diversificar sua economia e desenvolver diversos setores de serviços públicos, como saúde, educação, alimentação e outros. Dentre os principais objetivos estão o fortalecimento das atividades econômicas e comércios não-petrolíferos entre países. A Visão 2030 abre espaço para diversos potenciais investimentos internacionais na Arábia Saudita, em setores pouco explorados pelo governo, como mineração, logística, indústria e agricultura.

Entendendo a importância desse projeto não só para a Arábia Saudita mas para todo o Oriente Médio, a CONAFER firmou parceria com o país para trocas estratégicas em inteligência sobre segurança alimentar, agricultura orgânica, agroecologia, empreendimentos industriais de pequena escala e muito mais. Nossa confederação tem um dos maiores acúmulos de conhecimento sobre o setor agrofamiliar no mundo inteiro e agora estamos abrindo as portas para o desenvolvimento mútuo e fortalecimento internacional.

A Visão 2030 da Arábia Saudita tem 96 objetivos dentro de três grandes pontos de atuação, são eles: Sociedade Vibrante, Economia Próspera e Nação ambiciosa. Cada um deles com metas específicas a serem alcançados nesses próximos 9 anos.

Uma Sociedade Vibrante
Toda pessoa tem direito a aproveitar uma vida rica, prazerosa e realizada, e isso serve como uma base forte para prosperidade econômica em grande escala. Esse ponto busca garantir a qualidade de vida e o bem-viver para todos os cidadãos da Arábia Saudita e Oriente Médio, através de políticas públicas cada vez mais precisas.

Economia Próspera
O ponto principal da Visão 2030 é a criação de um ambiente que desbloqueia oportunidades de negócio, aumentando a base econômica e de arrecadação e assim criando milhares de empregos para todos os sauditas. Isso se dará através de parcerias e investimentos a nível global, atraindo grandes talentos e organizações especialistas de todo o mundo.

Uma Nação Ambiciosa
Até 2030 a Arábia Saudita busca se tornar referência internacional, mantendo o desempenho de um governo de alta performance, eficiente, transparente e responsável. O país busca empoderar seus cidadãos, o setor privado e as organizações sem fins lucrativos, para tomar iniciativas, identificar oportunidades e ajudar na concretização dos objetivos da Visão 2030.

A CONAFER não só apoia essa iniciativa, como saiu na frente e já assinou um contrato de cooperação técnica com a CICIBAS, o Centro de Investimento, Comércio e Indústria Brasil e Arábia Saudita, firmando parcerias grandiosas no âmbito da segurança alimentar, fortalecimento das bases produtoras no Brasil, produção de alimentos Halal em grande escala, troca de tecnologias e conhecimentos e muito mais.

A Visão 2030 é um projeto ousado mas perfeitamente alcançável, ainda mais com apoios de organizações globais de alto nível, como a CONAFER. Esse programa expressa grandes objetivos e desejos a longo prazo, que serão construídos com base na união das forças e capacidades únicas de nossos países. Orientar as aspirações em direção a uma nova fase de desenvolvimento é a grande meta, assim fortalecendo bases econômicas mais sustentáveis e aos poucos deixando pra trás o estigma da nação petrolífera. Juntos poderemos desenvolver novas opções de crescimento próspero e sustentável entre nossos países. A CONAFER está nessa missão!

CONAFER e CICIBAS selam acordo entre Brasil e Arábia Saudita para o setor agrofamiliar

 

 

Das sementes do desenvolvimento plantadas pelas duas nações há uma década no Oriente Médio, nascem os frutos de uma nova história nas relações entre brasileiros e sauditas

Há uma década com o objetivo de estreitar as relações e os negócios entre brasileiros e sauditas, foi criado o CICIBAS, Centro de Investimentos, Comércio e Indústria, Brasil e Arábia Saudita.

Desde que foi criado, a visão do CICIBAS é ser o líder em oportunidades de negócios e investimentos para a República Federativa do Brasil e o Reino da Arábia Saudita. A missão é promover, desenvolver e expandir as relações comerciais entre os dois países, transformando-os em parceiros estratégicos para o século XXI.
Nesta mesma época, há 10 anos, nascia um novo tempo na agricultura familiar brasileira com a CONAFER, a Confederação Nacional dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais.

 

Carlos Lopes, presidente da CONAFER e Anderson Colatto, vice-presidente do CICIBAS, Centro de Investimento, Comércio e Indústria Brasil e Arábia Saudita, acertam detalhes do Acordo de Cooperação Técnica antes da assinatura

A visão da CONAFER é ser referência no desenvolvimento do segmento econômico agrofamiliar responsável por 10% do PIB brasileiro. Sua missão é promover o bem-estar social, o crescimento produtivo e financeiro do segmento agrofamiliar, garantir segurança alimentar e atuar pela sustentabilidade neste novo século.
Agora, as duas entidades celebram um acordo inédito para os dois países por meio de um ACT, Acordo de Cooperação Técnica, nos termos do Acordo Geral de Cooperação firmado entre os governos do Brasil e da Arábia Saudita, assinado em Riad, em 16 de maio de 2009.

O CICIBAS e a CONAFER se unem para plantar e colher juntos um novo campo de atuação nos acordos bilaterais de cooperação técnica, de troca de experiências científicas, de valorização cultural entre os dois povos, de novos investimentos entre dois líderes de diversos segmentos da economia global.

Nos últimos anos, a Arábia Saudita realizou diversas reformas e implementou regulamentações para melhorar o seu ambiente de negócios, já projetando o cenário de 2030. Uma destas ações trata da sua segurança alimentar.

Para Carlos Lopes, presidente da CONAFER, “a dimensão do Acordo com o CICIBAS e as suas demandas, são uma excelente oportunidade de estreitar parcerias com um país líder na região do Oriente Médio, mas que não tem a mesma capacidade de produção de alimentos do Brasil. Pois, 95% de sua área é deserto. Assim, a CONAFER estabelece uma ponte importante entre os dois países, selando um Acordo que abre novas perspectivas para o nosso segmento econômico. A ideia de um mundo global e de novos horizontes de negócios começa a se materializar para nós da agricultura familiar brasileira.”