ESTE É O NOSSO ÚNICO LAR. AJUDE A PRESERVAR

16 de Março. Dia Nacional da Conscientização sobre Mudanças Climáticas

Hoje é o Dia Nacional da Conscientização sobre Mudanças Climáticas, criado pela Lei federal 12.533, de dezembro de 2011, para alertar sobre a importância da defesa do meio ambiente na preservação da vida.

A mudança climática é um dos maiores desafios da atualidade. Seus impactos afetam desde a produção de alimentos até o aumento do nível do mar – aumentando o risco de inundações e catástrofes, por exemplo –, o que desestabiliza países e o meio ambiente no mundo todo.

Em 2018, a concentração de CO2 na atmosfera atingiu 411,25 ppm (partes por milhão), um dos maiores valores dos últimos 5 milhões de anos, segundo dados da National Oceanic & Atmospheric Administration (NOAA). O nível mínimo seguro para evitar um colapso climático de grandes proporções é de 350 ppm.

Esse dado fornece uma ideia de como o tema é fundamental para a vida no planeta, despertando a necessidade de uma reflexão a respeito das responsabilidades a serem assumidas por governos, grandes empresas, sociedade como um todo e cada um de nós, individualmente.

Nós, agricultores familiares e indivíduos, podemos colaborar para a adoção de algumas medidas de enfrentamento a esse desafio, entre as quais: diminuir o desmatamento, investir na conservação e no reflorestamento de áreas naturais, incentivar o uso de energias renováveis não convencionais (solar, eólica, biomassa, por exemplo), reaproveitar e reciclar materiais, além de consumir alimentos oriundos de pequenas propriedades e da agricultura familiar.

É imprescindível a preservação das florestas, pois elas são grandes depósitos de carbono. Por isso, manter as florestas protegidas e restaurar áreas desmatadas é um mecanismo essencial para a diminuir os efeitos do aquecimento global. Além disso, elas contribuem para a preservação dos serviços ecossistêmicos, como é o caso da própria agricultura.

A CONAFER está alinhada com a Agenda 30 da Organizações das Nações Unidas (ONU), na luta por enfrentar os desafios ambientais e evitar as mudanças climáticas, tendo como foco a erradicação da pobreza, o fomento à agricultura sustentável e a preservação da vida existente no planeta.

Afinal, o planeta é responsabilidade de todos nós.

Quando você cuida da árvore, você preserva a floresta inteira

07 de dezembro. Dia Nacional da Silvicultura

Esse dia é para conscientizar produtores rurais e a sociedade sobre a importância da silvicultura para preservar, recuperar e minimizar os impactos ao meio ambiente

A data de 7 de dezembro como o Dia Nacional da Silvicultura foi instituída em 2012, e busca conscientizar produtores rurais e a sociedade sobre a importância da silvicultura, tanto para a economia como para o meio ambiente.

A palavra silvicultura tem origem no latim e quer dizer cultivo de árvores (cultura) da floresta (silva). Esta ciência estuda os métodos naturais e artificiais para restaurar e melhorar o povoamento das florestas, auxiliando na recuperação das árvores, principalmente das espécies em extinção, e no equilíbrio dos ciclos de renovação de nutrientes, visando um melhor aproveitamento e uso consciente.

O uso das tecnologias tem agravado os problemas ambientais. É por conta disso que a silvicultura presta serviços tanto nos meios rurais e urbanos quanto na área industrial. Desta forma, ela torna-se fundamental para o atendimento sustentável das demandas da indústria e auxilia na preservação das matas nativas e da biodiversidade.

A ciência é dividida em duas partes, a clássica e a contemporânea. Silvicultura clássica trata de preservar e restaurar florestas naturais, já a contemporânea tem o objetivo de plantar e manter sítios cultivados artificialmente, ou seja, plantados pelo homem.

O objetivo de ambas é a produção de madeira e, durante seu manejo, é necessária a participação de técnicos de diversas áreas. Porém, a silvicultura moderna não tem apenas a finalidade de produzir madeira, mas também serviços e bens.

Por tudo isso, destaca-se a importância ambiental e econômica da silvicultura, agindo em favor da preservação do planeta, sua fauna e flora, ao mesmo tempo em que atua em função do mercado, permitindo a viabilização da produção. Na indústria, a silvicultura aumenta a homogeneidade dos produtos, o que torna as máquinas mais adequadas, e favorece o combate às pragas que causam prejuízo na produção. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 1990 até 2000 se alcançou 44% de aumento das florestas plantadas, número que só tende a crescer ao longo dos anos.

Agricultura familiar e os sistemas agroflorestais

Foto: Igui Ecologia

As culturas destinadas à produção de alimentos não estão limitadas a áreas que precisam ser preparadas. O aproveitamento de áreas florestadas, como as capoeiras – formações florestais que substituem o povoamento anterior, eliminado por perturbações naturais ou antrópicas, e que atingem um estágio estável –, é uma solução econômica e ecologicamente viável, desde que bem planejada.

Uma das soluções para que haja uma possibilidade de aproveitamento destas áreas é o manejo direcionado, com plantios de enriquecimento, e a introdução de espécies de valor econômico, visando a formação de um sistema diversificado de produção.

Uma das técnicas da silvicultura mais conhecidas é a dos sistemas agroflorestais, que são caracterizados pelo consórcio entre espécies agrícolas e espécies florestais, além de animais, implantados de acordo com os objetivos do produtor, susceptíveis a alterações e/ou introdução de outros componentes ao longo do tempo, tendo como prioridade a produção de alimentos ou outros produtos de valor econômico.

Todo sistema agroflorestal pode ser planejado para ser ecologicamente eficiente, superando os sistemas agrícolas de monocultivo, tantos em termos ecológicos quanto econômicos. Mas é importante e necessária a ampliação do quadro de assistência técnica que irá direcionar o produtor no estabelecimento e manejo.

As espécies a serem utilizadas num sistema agroflorestal, ou mesmo em programas de enriquecimento em áreas de capoeira, devem ser selecionadas de acordo com suas características ecológicas e devem também apresentar viabilidade econômica ao agricultor, além de um mercado pré-estabelecido que garanta que o investimento seja factível.

Por isso a necessidade de um assessoramento técnico permanente. Vários estados, especialmente na região Norte, possuem redes de pesquisas que desenvolvem os principais sistemas de silvicultura, facilitando a decisão do agricultor familiar de optar por esta modalidade de cultura.

CONAFER apoia todos os semeadores da agroecologia

da Redação

Para comemorar o Dia da Agroecologia, a SEAGRO, Secretaria Nacional de Agroecologia, Políticas Agrárias e Meio Ambiente, está lançando duas cartilhas com informações importantes sobre alimentação e saúde

A criação do Dia Nacional da Agroecologia é uma homenagem ao nascimento (1920) da engenheira agrônoma e escritora, Ana Maria Primavesi, uma referência nos avanços de pesquisas sobre o manejo do solo de maneira ecológica. Primavesi é também uma das principais pesquisadoras da agricultura orgânica, que compreende o solo como um organismo vivo.

É um dia para chamar atenção da sociedade para a importância da agroecologia na saúde de todos e do meio ambiente. Por isso, tornar o cultivo na agricultura familiar totalmente sustentável é uma opção decisiva para proteger a saúde, o planeta e todo o segmento econômico.

No Território Girassóis, em Aiuruoca, MG, a SEAGRO prepara os canteiros para receber as sementes de milho crioulo , mandioca, batata, abóboras e árvores frutíferas em um processo 100% agroecológico.


Defensora das práticas sustentáveis para todo o segmento econômico da agricultura familiar, a CONAFER investe em projetos agroflorestais por meio de SAFs, Sistemas Agroflorestais, que buscam a recuperação de áreas desmatadas em consórcio com a produção agrícola, beneficiando o equilíbrio do ecossistema pela maior absorção do carbono.
A Confederação ainda apoia o controle biológico em todos os tipos de cultura, contrapondo-se ao uso de agroquímicos no controle da produção. E atua na segurança alimentar por meio do cumprimento da Agenda 2030 da ONU pela erradicação da fome no mundo por meio de uma agricultura de baixo carbono.

A Secretaria de Agroecologia da CONAFER lançou duas cartilhas para comemorar a data

A SEAGRO, Secretaria Nacional de Agroecologia, Políticas Agrárias e Meio Ambiente, trabalha pelo resgate da sabedoria ancestral em harmonia com a contemporaneidade, unindo a sabedoria das práticas ancestrais, o conhecimento científico da natureza e as técnicas da moderna agroecologia. 

Para o Dia da Agroecologia, a SEAGRO publica aqui duas cartilhas com informações importantes sobre alimentação e saúde. Leia e saiba mais sobre a importância da agroecologia em nossas vidas e na  sustentabilidade do planeta.

Hoje é dia de lembrar de quem está nesta terra antes de se chamar Brasil

A cultura indígena é a origem de tudo. Nosso país deve aos povos originários a proteção das florestas e rios da Amazônia, da biodiversidade da Mata Atlântica, suas diversas línguas que compõem muito da língua brasileira, seus costumes e a rica culinária, o hábito de tomar banho todos os dias, as pinturas em seus corpos que retratam as cores da nossa natureza, a agricultura sustentável, as ervas que curam, os rituais que revelam o espírito das matas, o amor pela terra e o respeito pela unidade familiar.

Esta data, 19 de Abril, é quando a sociedade brasileira lembra o Dia do Índio. Para a CONAFER, este é um dia para dizer que todos os indígenas seguem na luta pelos seus direitos, pelo respeito aos seus valores e tradições, para que o futuro dos seus filhos reencontre a liberdade de viver em harmonia em seus territórios.

Homenagem da CONAFER no Dia da Previdência Social

A PREVIDÊNCIA É UMA GRANDE CONQUISTA DOS BRASILEIROS. TEMOS O DIREITO E O DEVER DE COMEMORAR.
O dia 24 de janeiro é para ser comemorado por todos. A seguridade social é um direito constitucional que assegura o acesso à saúde, previdência e assistência social. Lembrar esta data é um compromisso de todos que defendem a cidadania e o bem-estar da sociedade.