APP AGROFAMILIAR: desenvolvido pela Emater-DF, aplicativo permite aos produtores receber documentos no próprio celular

da Redação

Os agrofamiliares que possuem cadastro na Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal, a Emater-DF, não precisam mais ir até um escritório da Emater-DF para receber os documentos de solicitação de Composto Orgânico de Lixo (COL) do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e de compra de milho da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A partir de agora, produtores cadastrados já podem ter acesso aos serviços diretamente no Aplicativo Emater-DF. De acordo com a empresa, a inovação do aplicativo não está na forma de pedir os documentos, que devem continuar sendo solicitados da forma usual pelos produtores, e sim no recebimento destes, que após serem analisados e aprovados pelos técnicos, são disponibilizados ao solicitante pelo App. Com isso, o agricultor, de posse do documento com a sua demanda, seja de compra de milho ou de solicitação de COL, pode ir diretamente à Conab ou SLU, requerer o serviço

O app foi desenvolvido em fevereiro de 2022, e desde então novas facilidades tecnológicas estão sendo agregadas, como exemplo as carteiras do produtor rural emitidas no novo modelo, a Declaração de Atividade Rural, a Declaração de Produção/Ceasa e o documento para a compra de milho da Conab e de solicitação de COL ao SLU.

Para a Emater, o aplicativo irá facilitar a vida dos agricultores, oferecendo mais praticidade e agilidade na aquisição de serviços. Antes da nova funcionalidade ser disponibilizada via app, era necessário que os produtores se dirigissem até o escritório da Emater onde encontravam-se cadastrados, a fim de solicitar a impressão do formulário destinado tanto à compra de milho da Conab, quanto ao COL do SLU, ambos mediados pela empresa.

Os produtores rurais realizam com frequência a solicitação de compra de milho junto à Conab, que oferece o produto com um preço subsidiado, sobretudo para uso na alimentação dos animais, a exemplo de aves, suínos, bovinos de corte e leite, caprinos e ovinos. É por intermédio da Emater que eles conseguem efetuar esta compra, reduzindo seus custos de produção, e aumentando sua competitividade no mercado.

Com o App Emater-DF, agrofamiliares recebem no celular os documentos de compra de milho da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)

Para a compra do COL, Composto Orgânico de Lixo, a Emater auxilia o agricultor cadastrado no órgão elaborando a orientação técnica dispondo sobre as formas de utilização do composto orgânico de modo a otimizar os resultados na cadeia produtiva. Uma vez que o produtor rural do DF e dos municípios da Região Integrada de Desenvolvimento (RIDE-DF) estejam regularmente cadastrados no sistema da Empresa, é concedida a eles a doação de até 30 toneladas do composto por ano, sendo que caso este demande uma maior quantidade do produto, pode-se estender essa quantidade em até 2 mil toneladas anuais.

Os agrofamiliares que possuem cadastro na Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal, a Emater-DF, não precisam mais ir até um escritório da Emater-DF para receber os documentos de solicitação de Composto Orgânico de Lixo (COL) do Serviço de Limpeza Urbana (SLU)

O aplicativo foi desenvolvido para reduzir a burocracia nos serviços disponibilizados aos produtores rurais do DF e região. A Emater está agregando ao app novas facilidades tecnológicas como as carteiras do produtor rural emitidas no novo modelo, a Declaração de Atividade Rural, e a Declaração de Produção/Ceasa, frequentemente requisitados por instituições para concessão de aposentadorias e benefícios financeiros aos agricultores.

No DF, a Emater possui em seus registros mais de 18 mil produtores rurais cadastrados, chegando a realizar cerca de 150 mil atendimentos anuais, permitindo a estes agricultores contarem, a partir deste mês, com maior comodidade e facilidade no acesso a estes serviços via aplicativo. Cabe lembrar que todos os documentos digitais emitidos pela Emater-DF, desde o mês de junho do ano passado, possuem um QR Code para validá-los na base de dados da empresa, de modo a ter assegurada a sua veracidade e autenticidade.

Com informações do GDF e da Emater-DF.

Emater apresenta tecnologia pioneira de criação de pirarucu para empresários

FONTE: Agência Pará

Peixes são cultivados em tanques suspensos. Carne é vendida para restaurantes de Belém e couro segue para exportação

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) realizou, no último final de semana, intercâmbio com piscicultores e empresários do setor pesqueiro do município de Capitão Poço, nordeste paraense, e de alguns municípios da região metropolitana, sobre projeto de criação de pirarucu em tanque suspenso. O projeto modelo da Emater está instalado na propriedade do piscicultor Eduardo Arima, em Benevides, onde possui cerca de 2.500 pirarucus em 10 tanques.
Foto: Newton Rosa / Emater
Arima comercializa a carne do pirarucu para restaurantes da capital e o couro está sendo testado, em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA), para, depois de curtido, abastecer o mercado europeu de alta-costura, constituindo bolsas, cintos e sapatos. O material é disputado no estilismo de luxo pelo caráter exótico, reciclado, ecológico e biodegradável.

“O Arima procurou a Emater pedindo ajuda para sua produção, hoje a condição dele é outra, já exporta para outros países e é exemplo para outros produtores do Estado, tanto é que muitos vão até a sua propriedade para conhecer o projeto de perto. Essa integração com o produtor é muito importante para a Emater e tem feito a diferença no dia a dia de quem produz” – Cleide Amorim, presidente da Emater.

Na propriedade de Arima, são abatidos cerca de 20 peixes por semana, o que totaliza 30 toneladas por ano. O Projeto da Emater tem o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme).
Para o engenheiro de pesca da Emater e coordenador do projeto, Tiago Catuxo, a empresa trabalha com um pacote tecnológico durante os encontros para que os interessados adquiram conhecimento e divulguem a iniciativa para outras pessoas. “A criação de pirarucu em tanque suspenso tem boas perspectivas de negócios, tanto é que recebemos 40 produtores no encontro”, comenta.
O cultivo de pirarucu em tanque é regido por normas governamentais de segurança e registro. São necessários, por exemplo, licença simplificada, conforme resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), e Cadastro Técnico Federal (CTF) emitido pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Além disso, a propriedade precisa de Cadastro Ambiental Rural (CAR) e outorga de água.
A produtora Elisângela Pereira, de Capitão Poço, aprovou o encontro. “Como tenho curso técnico em agronegócio, me interessei pela piscicultura, quero investir, muito em breve pretendo ter minha própria produção”. Pereira já trabalha com pimenta do reino e criação de galinhas em sistema semi-intensivo, inclusive com o apoio técnico da Emater. “Recebo orientação desde o começo e, agora, com o projeto do pirarucu, também vai me apoiar”, afirma.
Projeto – O projeto-piloto de Benevides envolve vários aspectos e municípios da agricultura familiar. O produtor Eduardo Arima Arima adquire alevinos de fornecedores de Abaetetuba e ração de São Miguel do Guamá; o couro é enviado para curtimento artesanal em uma comunidade de Bragança.
Os tanques possuem 6m de diâmetro e 28 m³ de profundidade, com 180 peixes em cada, sendo esse considerado um adensamento condizente com a performance típica da espécie em seu habitat natural. Os peixes são abatidos em um ano, quando atingem 10 quilos.

Emater realiza reunião com agricultores familiares nesta terça

FONTE: GAZ
 
Serão elaborados projetos de venda para aquisição de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar
O escritório municipal da Emater/RS-Ascar de Sobradinho promove nesta terça-feira, 19, às 9 horas, na sede do escritório municipal, uma reunião para elaboração dos projetos de venda para aquisição de gêneros alimentícios diretamente da Agricultura Familiar, para atendimento da Chamada Publica 01/2019 do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) das escolas estaduais do município de Sobradinho.

Para tanto, os agricultores interessados em conhecer o programa e a forma de comercialização deverão comparecer junto ao escritório da Emater munidos de seus documentos pessoais.
Segundo a Emater, esta modalidade de comercialização está cada vez mais sólida e participativa, sendo mais uma alternativa de diversificação e geração de renda aos Agricultores Familiares.