Os valores do trabalho na terra e o respeito pela natureza, característica principal dos povos indígenas, são os mesmos da Confederação. Por isso, ela apoia e defende os povos originários e suas causas, principalmente o direito à proteção dos territórios, à autodemarcação, à liberdade de expressão e preservação de uma cultura rica e ancestral. No último dia 2 de agosto, integrantes da direção da CONAFER, liderados pelo presidente da entidade, Carlos Lopes, estiveram no Território de Barra Velha, município de Porto Seguro, extremo sul baiano, em uma rica conexão que a cada dia se fortalece ainda mais. O encontro com os caciques do Território Barra Velha, em Porto Seguro, ocorreu na Aldeia Meio da Mata, com a presença de outras aldeias, como Mata Medonha, de Santa Cruz Cabrália; Aldeia Alegria, do Prado; Águas Belas, Aldeia Nova, Aldeia Boca da Mata, Aldeia Cassiana, Aldeia Pará e comunidades indígenas da região. Um lugar sagrado, território dos antepassados originários, símbolo da existência milenar. Onde uma agricultura familiar agroecológica se perpetua pelo respeito ao ecossistema e sua preservação. Como o Sistema Agroflorestal (SAF) da Meio da Mata, um verdadeiro modelo de desenvolvimento sustentável, assim como as lavouras, plantio e criação de animais das aldeias do TI Barra Velha. Além de conhecer produções e culturas  agrícolas, encontros técnicos e rituais sagrados ampliaram esta conectividade anciã entre a Confederação e os parentes Pataxó 

O Sistema Agroflorestal (SAF) da Aldeia Mãe Barra Velha é um exemplo a ser reproduzido em todos os territórios indígenas. Trata-se de uma efetiva recuperação ambiental em que a produção de culturas integra o conhecimento ancestral com a sucessão ecológica dos ecossistemas naturais, consorciando árvores nativas com culturas agrícolas, trepadeiras, forrageiras, arbustivas, de elevada diversidade de espécies, com alta otimização de plantios de sementes e mudas. É uma produção de alto valor, em que convivem harmonicamente a sustentabilidade e a geração de riqueza para toda a comunidade.

Valores da conexão ancestral entre a CONAFER e os Pataxó

Preservação do Meio Ambiente

Ao adotar o modelo de produção agroecológica, a agricultura familiar fez a opção pela proteção do meio ambiente. Por isso, a CONAFER apoia todas as iniciativas de defesa da natureza, dos ecossistemas e da produção sustentável. 

Agricultura de Baixo Carbono

A CONAFER investe em projetos agroflorestais por meio de SAFs, Sistemas Agroflorestais, que buscam a recuperação de áreas desmatadas em consórcio com a produção agrícola, beneficiando o equilíbrio do ecossistema pela maior absorção do carbono. 

Energia Sustentável 

A CONAFER promove e estimula projetos de geração de energias limpas, tanto para o consumo doméstico das famílias de agricultores, como também na produção agroecológica do meio rural.

Turismo Sustentável

Conhecer e aprender, mas sem interferir no equilíbrio dos ecossistemas. Este é o modelo de turismo que a CONAFER apoia e estimula para gerar um impacto positivo no meio ambiente.

Produção Sustentável 

A viabilidade da agricultura familiar como segmento econômico passa pela produção sustentável, o grande diferencial da produção rural em relação aos outros segmentos econômicos.

Em primeiro plano, o presidente Carlos Lopes, que em sua visita ao Território Barra Velha estreitou ainda mais as relações da CONAFER com o povo pataxó

Questões Indígenas

Defesa das demandas vindas das comunidades indígenas, criando novas condições para seu desenvolvimento, ao mesmo tempo lutando pelo bem-estar destas comunidades, incentivando a agricultura agroecológica, o empreendedorismo, como também a arte e a cultura, buscando o desenvolvimento socioeconômico nas aldeias por meio de parcerias e ações de resgate das culturas ancestrais.

Tradições e Culturas dos Povos Originários 

Reconhecemos as demandas das comunidades indígenas, valorizamos o resgate das expressões linguísticas, das formas de arte, da culinária sustentável e a medicina da floresta. Como também, a releitura da história das invasões europeias e o genocídio de milhares de etnias.

A luta dos povos originários é a mesma luta da CONAFER

Todos os indígenas são reconhecidos como agricultores familiares pela Lei da Agricultura Familiar, a Lei nº 11.326, de 2006.

Portanto, a história do genocídio de 6 milhões de indígenas, desde quando os colonizadores chegaram na América, desde que aqui se fixaram infringindo direitos humanos e os direitos dos povos originários, desde que destruíram milhares de etnias, desde então somos herdeiros da luta pela defesa dos territórios dos povos que originaram nosso país, que formam a nossa cultura e nos inspiram diariamente a preservar o meio ambiente. Para atuar mais diretamente nas questões indígenas, a CONAFER tem uma Secretaria Nacional atuando no mapeamento dos territórios e suas diversas produções agroecológicas, com forte estímulo ao fomento e produção de alimentos nas aldeias, além de permanentes ações na cultura e apoio às tradições.

Compartilhe:

Assine a nossa newsletter
Fique por dentro de tudo que acontece aqui.

CONAFER - 2022