‘Regularização fundiária iria beneficiar 1 milhão de pequenos agricultores’

FONTE: Canal Rural
Após a votação da MP da regularização fundiária ter sido suspensa na noite desta terça-feira, 12, pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) afirmou que caso a medida fosse aprovada, o texto poderia beneficiar mais de 1 milhão de pequenos produtores do Brasil que vivem de maneira marginalizada.
De acordo com chefe da Embrapa Territorial, Evaristo de Miranda, o país perdeu com a falta de possibilidade de avançar com o texto. ” No Brasil, no sentido amplo, estamos perdendo toda agricultura todo,  os pequenos agricultores nas cidades brasileiras. Esses mais de 1 milhão de agricultores são uma economia informal, e precisamos formalizar essas famílias, tirar eles da marginalidade, e essa MP faria isso”, afirmou o dirigente.
Além disso, para Miranda, a força política que os pequenos agricultores possuem atualmente é pequena para manter o assunto em evidência. “É um setor sem recursos, descapitalizada, isolada no campo. Mas por outro lado, a Frente Parlamentar da Agropecuária [FPA] e até mesmo a ministra Tereza Cristina,que possuem essa sensibilidade, estão tentando manter esse assunto em pauta”, disse ele.

União Nacional Camponesa invade Fazenda Esmeralda em Duartina

FONTE: JCNET
Duartina – Constantemente invadida nos últimos três anos, a Fazenda Esmeralda, em Duartina (38 quilômetros de Bauru), voltou a ser ocupada nesta terça-feira (20), desta vez por integrantes da União Nacional Camponesa (UNC), que reivindicam reforma agrária na região de Bauru.
No local estão aproximadamente 220 pessoas e mais estão a caminho, vindas de todo o Estado em cinco ônibus, informa a UNC. Conforme o JC vem noticiando desde 2016, a fazenda pertence ao coronel João Baptista Lima Filho, amigo do presidente Michel Temer (MDB). Esta foi a primeira vez que a UNC ocupou o local.
Anteriormente, a fazenda fora invadida pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), como foi registrado em maio de 2016, em julho de 2017 e em março deste ano.
Segundo o diretor da UNC, Marcos Amad, não há previsão para o grupo deixar o local.