Utilização de Drones para mapeamento e pulverização dos focos da Dengue e Malária.

ALBATROZ

Controle e erradicação da Dengue e da Malária no Brasil utilizando drones para mapeamento e pulverização dos focos encontrados aumentando sua eficiência e alcançando áreas de difícil acesso.

METODOLOGIA

Georreferenciamento das áreas através de drones. Análise dos dados para identificar focos dos mosquitos com algoritmos de inteligência. Realização de pulverização direcionada nos focos identificados.

MONITORAMENTO

Relatórios periódicos, trazendo eficácia nas tomadas de decisão. Avaliações de impacto independentes na vida das pessoas.

Tenha acesso ao Manual de Apresentação do Projeto Albatroz

Perguntas Frequentes

O Projeto Albatroz é uma iniciativa inovadora e tecnológica destinada ao controle e erradicação do mosquito Aedes aegypti, vetor de doenças como dengue, zika e chikungunya. Implementado pela CONAFER (Confederação Nacional dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais), o projeto utiliza uma abordagem multifacetada para combater a proliferação do mosquito de maneira eficaz e sustentável.

Utiliza tecnologia de ponta para monitorar e controlar a população de mosquitos, incluindo drones e sensores e emprega técnicas ecologicamente corretas e sustentáveis, reduzindo o uso de inseticidas químicos.

Sim. Os drones têm se destacado como importantes ferramentas no monitoramento ambiental devido à sua capacidade de acessar áreas de difícil alcance, coletar dados de maneira eficaz e rápida, e reduzir os custos e riscos associados às operações aéreas tripuladas. E se torna aliado importante economizando tempo nas atividades de campo e reduzindo os riscos associados às inspeções, aumentando a eficiência das ações de controle, estes drones oferecem a vantagem de capturar as imagens com alta qualidade, permitindo o acompanhamento da dinâmica da disseminação do Aedes aegypti.

Todos os dados coletados, incluindo imagens de drones, informações de sensores e relatórios de campo, são integrados em uma plataforma e Algoritmos de inteligência artificial processam os dados, identificando padrões e áreas de maior risco. Isso ajuda na previsão de surtos e na priorização de áreas para intervenções. As informações são georreferenciadas, criando mapas detalhados que mostram os locais de maior incidência de mosquitos. Esses mapas são usados para planejar e direcionar as ações de controle.

O projeto promove campanhas de educação e conscientização para informar a população sobre a importância de eliminar criadouros de mosquitos e as medidas preventivas que podem ser adotadas em casa e a criação de um sistema contínuo de monitoramento e intervenção, garantindo a sustentabilidade das ações a longo prazo.

Nas zonas tropicais e subtropicais, as alterações climáticas tiveram impacto nas estações, tornando-as secas ou chuvosas, mais quentes e mais longas, refletindo na crescente temporadas de transmissão da dengue começando mais cedo e durando mais tempo.

PARCERIAS
CERTIFICAÇÕES

Agência Nacional de Aviação Civil

Agência Nacional de Telecomunicações

Departamento de Controle do Espaço Aéreo

Ministério da Defesa

Notícia G1: CONAFER Utiliza Drones para Mapear Focos de Dengue em Pesqueira, PE.

REALIZAÇÃO