A agricultura familiar vai cuidar da sua família IV

QUALIDADE DE VIDA TAMBÉM É A CURA PELA TERRA.
Quando o ser humano esquece da terra, ele esquece das suas origens, pois toda a vida é gerada pela terra. Da terra vem o alimento que o nutre, a energia que o faz se desenvolver e transformar o seu ambiente. É um ciclo, o ciclo da vida. Portanto, ao cuidar da terra, estamos oferecendo o melhor ambiente a semente que fornece bons frutos. Mas cuidar da terra é mais do que prepará-la para o plantio. A terra é o nosso equilíbrio completo, a sintonia com os astros do nosso sistema solar, a força magnética capaz de acelerar o ritmo de tudo que tem movimento sobre ela, a reserva de elementos capazes de curar doenças, com o espaço atmosférico que sopra a vida, cortada por artérias de rios e florestas, e veias que pulsam para manter a nossa existência. A agroecologia está plenamente e harmonicamente envolvida com a terra, portanto, é uma forma de cura de grande parte da sociedade mal alimentada. Por isso, os nossos agricultores familiares são doutores em qualidade de vida.

Coronavírus: veja os cuidados que o produtor deve ter na lavoura

FONTE: Canal Rural
Medidas divulgadas pela Federarroz visam garantir o abastecimento e proteger a saúde dos produtores rurais e todos os profissionais da cadeia produtiva
A Federação dos Arrozeiros do Estado do Rio Grande do Sul (Federarroz), divulgou nesta segunda-feira, 23, uma nota com novas recomendações para as atividades nas propriedades rurais, com o objetivo de evitar a propagação do novo coronavírus.
A preocupação da instituição é assegurar que a produção de alimentos não seja afetada pela doença, garantindo o abastecimento de alimentos aos brasileiros, sem colocar em risco as pessoas que trabalham em toda a cadeia produtiva.
As medidas para a prevenção são:

  • Afastamento imediato dos funcionários que apresentem sintomas do vírus, como febre, dor de garganta, tosse e falta de ar;
  • Distribuição de álcool gel em todos os setores;
  • Distanciamento entre pessoas de, no mínimo, um metro;
  • Não dividir caronas nos veículos e nem compartilhar cabines de colheitadeiras, tratores e caminhões;
  • Caminhoneiros e outros prestadores de serviços devem permanecer no interior dos veículos durante entrega ou carregamento de mercadorias;
  • Usar de forma individual objetos como garfo, faca, copo de água e a bomba utilizada para ingerir o chimarrão, bebida típica do Sul;
  • Não emprestar celular, rádio ou outros aparelhos de comunicação;
  • Evitar ao máximo pessoas acima de sessenta anos nos locais de trabalho.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil deve colher na safra 2019/2020, um total de 10,4 milhões de toneladas de arroz. O Rio Grande do Sul é responsável por 70,5% da produção nacional. A estimativa é que o estado produza 7,3 milhões de toneladas do cereal.