Agricultores familiares são os maiores produtores de hortaliças e frutas do Brasil

da Redação

A produção agrofamiliar é responsável por dois terços da produção de frutas, verduras e legumes da horticultura em todo o país; o segmento representa 67% dos 15 milhões de produtores rurais brasileiros.

Foto: Região dos Vales

Ocupando a terceira posição em maior produção mundial de frutas, o Brasil produz aproximadamente 45 milhões de toneladas ao ano, 65% das quais destinadas a consumidores internos e 35% para o mercado externo.

Na outra ponta, temos uma produção de hortaliças que é altamente diversificada e segmentada, com destaque para seis espécies: batata, tomate, melancia, alface, cebola e cenoura.

O crescimento de consumidores que buscam uma alimentação mais saudável e natural tem encontrado na agricultura familiar a diversidade e a qualidade de produtos para sua dieta. Nos cultivos de morango e pepino, por exemplo, os agricultores familiares produzem 80% da cultura. Alface, batata-doce, pimentão e couve, mais de 60%. Nas lavouras de ciclo longo, seguem liderando o cultivo da uva e do maracujá. Nas temporárias, a mandioca e o abacaxi.

O plantio de frutas e hortaliças tem sido uma opção cada vez mais lucrativa para pequenos agricultores. Isso porque, nas culturas mencionadas, não é necessário uma grande produção para a geração de lucros. Sem contar que o investimento nesse mercado permite que, além da venda direta da fruta, produtos secundários sejam produzidos, como polpas, geléias, conservas, etc.

Muitos agricultores familiares têm investido na produção de polpa a partir das frutas colhidas, pois apenas uma fruta rende em média três polpas. Uma ótima relação custo-benefício.

Esse setor é extremamente atrativo e vantajoso, pois o fato do Brasil ser um país tropical faz com que o clima seja propício para o plantio de diversas espécies, além de já possuir uma grande variedade de árvores frutíferas bem ambientadas.

A produção de hortaliças além da diversificação, tem uma garantia maior de comercialização e consumo em diferentes regiões do país, com destaque para o alface, a batata, a cebola, a cenoura e o tomate. Ainda geram renda as hortaliças orgânicas, que ganham cada vez mais espaço no Brasil e que agregam valor na hora da venda.

A multivariedade de culturas plantadas proporciona segurança aos agricultores. Garante oportunidades durante todo o ano e oferece a possibilidade de conquista de novos consumidores, seja na venda direta ou negociando com mercados locais e feiras.

O Brasil possui uma produção de frutas com destaque no mundo: banana, uva, maracujá, melancia, laranja, mamão, limão, goiaba, jabuticaba, entre muitas outras. O abacaxi também está em alta. Apesar de não ser de cultivo tão fácil, gera um grande retorno após a colheita.

Conheça a importância da agricultura familiar para o país
Foto: Blog da Bel Agro

Frutas incomuns também vêm ganhando cada vez mais espaço. São os casos da pitaya e da lichia. O preço avulso da pitaya, por exemplo, varia de R$ 10 a R$ 25 a unidade na época da safra, com uma colheita que dura em média sete meses (outubro a maio).

Um dos fatores mais importantes da variação na produção de frutas e hortaliças é a possibilidade de colheita de uma variedade em caso de problemas com outra, além do cultivo de produtos que permitem colheitas rápidas.

Além disso, o acompanhamento das tendências de mercado pode gerar muitos lucros para os pequenos proprietários rurais.