JOGOS INDÍGENAS TERRITÓRIO CARAMURU: os Pataxó Hãhãhãe celebram a união das etnias, e o grande vencedor é o povo indígena

da Redação

O Estádio Indígena Caramuru-Paraguaçu, em Pau Brasil, região sul da Bahia, tem sido palco do grande encontro dos indígenas da TI Caramuru neste momento histórico de união em torno dos valores culturais de suas diversas etnias, como a Baenã, Kamakã, Tupinambá, Kariri-Sapuyá e Gueren, formadoras do englobante grupo étnico Pataxó Hãhãhãe; jogos de futebol, apresentações de tohé e rituais sagrados são também homenagem às lutas ancestrais por autonomia, pelas demarcações e respeito aos direitos constitucionais dos povos originários

Centenas de milhares de indígenas aldeados estão impedidos por força da crise sanitária e econômica de engrossar a massa de quase mil parentes, de 40 povos diferentes, todos presentes em Brasília, participando do Levante Pela Terra, mobilizados contra a aprovação do PL 490, e suas consequências, como a liberação dos territórios indígenas à sanha da exploração econômica, inviabilizando futuras demarcações. Ao celebrar a união dos povos pelo esporte, esta edição dos Jogos Indígenas também simboliza a grande energia que os aldeados enviam aos seus parentes na frente de luta na capital federal.

Desde o dia 16 de junho, os Jogos na TI Caramuru-Paraguaçu vão se desenvolvendo como uma grande gincana do esporte, em que não tem um vencedor, porque todos ganham ao final. Diversas partidas de futebol já deixaram uma amostra da qualidade técnica e física de muitos jogadores, revelando futuros talentos para as aldeias. Ao aliar a prática desportiva com as práticas dos rituais da ancestralidade, estes Jogos transcendem o tempo, e os novos guerreiros podem conhecer suas raízes culturais de um modo lúdico, e ao mesmo tempo, em um envolvimento mais profundo com sua história.

Além das modalidades, acontecem também as oficinas de linguagem indígena, pintura corporal, exposição de adereços Pataxó Hãhãhãe e distribuição de produtos da agricultura familiar. São 6 equipes participantes: Resgate Cultural, Atxuab, Tyihi Xoha, Kamayurá, Hãhãhãe e Angohõ, e que abriram o evento oficialmente apresentando um tohé de forma individual, definido por sorteio e finalizando com um grande ritual coletivo no centro do gramado em clima de alegria pela oportunidade de mostrar a força da união dos Pataxó.

Além do Futebol e do Tohé, os atletas disputam as modalidades de Arremesso de Takape, Corrida de Maracá, Luta Corporal, Arco e Flecha, Luta de Maracá, Lançamento de Zarabatana, Cabo de Guerra e Corrida de Tora.

Jogos mostraram a força das secretarias indígenas da CONAFER

Burain de Jesus Pataxó, secretário de Tradições e Culturas dos Povos Originários concedeu entrevista ao repórter Rômulo Dea da SECOM

À SECOM, Burain de Jesus Pataxó, secretário de Tradições e Culturas dos Povos Originários, afirmou que “ter realizado o evento na Caramuru foi muito importante para fortalecer os povos indígenas neste momento muito difícil da pandemia, nós já perdemos muitos parentes em diversas aldeias de diversos territórios do Brasil, então é momento de união em torno desta celebração do esporte e das nossas tradições”.

Lucas Puri Pataxó, secretário de Políticas, Estratégias e Línguas dos Povos Originários

Já o secretário de Políticas, Estratégias e Línguas dos Povos Originários, Lucas Puri Pataxó, falou que “a viabilização dos Jogos demonstram a força das secretarias indígenas da CONAFER, e aproveitou para agradecer ao presidente Carlos Lopes por não ter medido esforços pela realização do evento que já é um sucesso desde o planejamento até o seu desenvolvimento, premiando a todos os presentes com grandes jogos e apresentações da riqueza cultural dos povos originários.”

Assista aos vídeos abaixo: