Sai primeira lista do ano de produtos com descontos no Pronaf

da Redação

A lista com os produtos e os estados contemplados tem validade até o dia 9 de fevereiro, conforme Portaria nº 1/2021, da Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)

Com base em pesquisa de preços de mercado efetuada pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) no mês passado, foi publicada a lista de produtos amparados pela Política de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF) com direito a bônus do governo federal no mês de janeiro nas operações de crédito pelas instituições financeiras.

Foto: Mercur

Serão contemplados os seguintes produtos:

Abacaxi
Banana
Borracha natural cultivada
Castanha de caju
Mamona em baga
Manga
Maracujá
Raiz de mandioca

Os produtos que registraram queda de preço de mercado terão descontos no momento de amortização ou liquidação do crédito.

Segundo o Mapa, para os agricultores que têm operações de investimento sem um produto principal, que é a fonte de renda para pagamento do financiamento, há o bônus da cesta de produtos. Nesses casos, os descontos são calculados por meio de uma composição dos bônus do feijão, leite, mandioca e milho.

Foto: UOL

O recebimento de bônus do PGPAF ocorre quando o valor de mercado de algum dos produtos do programa fica abaixo do preço de referência, permitindo ao produtor utilizar o valor como desconto no pagamento ou amortização nas parcelas de financiamento no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Os estados contemplados na lista deste mês são:

Alagoas
Bahia
Ceará
Goiás
Maranhão
Paraíba
Pernambuco
Piauí
Rio de Janeiro
Rondônia
Roraima
São Paulo
Sergipe

Assista ao primeiro episódio do ano do Fica a Dica CONAFER

A CONAFER disponibiliza em seu canal do Youtube mais um episódio da série de vídeos informativos “Fica a Dica”

O episódio aborda tudo que você precisa saber sobre a DAP, a Declaração de Aptidão ao PRONAF (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), um documento também emitido pelos sindicatos associados da CONAFER. Para saber mais sobre este e outros serviços, Fica a dica!

Assista abaixo ao Episódio #9:

Você também pode assistir aqui a todos os episódios.

Livre de fertilizantes, soja é rentável na agricultura familiar

da Redação

Este grão rico em proteínas e com alta demanda para a agroindústria, é produzido em milhares de pequenas propriedades; a soja também está presente na produção e geração de biodiesel

Foto: Biosistemico

O que difere a produção de soja na agricultura familiar em relação aos grandes produtores é justamente as muitas dificuldades enfrentadas na cultura, incluindo o acesso à assistência técnica. Muitas vezes essa assistência está atrelada à compra e venda de algum produto. Porém, felizmente, alguns estados têm investido na capacitação técnica, ampliando as possibilidades do agricultor.

Um segmento que tem muito potencial na agricultura familiar é o do plantio de produtos orgânicos, cuja demanda vem crescendo consideravelmente na sociedade. Atualmente, são produzidos de forma orgânica desde tomates até a carne, sendo que a soja produzida de forma livre de fertilizantes químicos vem conquistando consumidores na Europa e, mais recentemente, também no Brasil.

A soja é uma leguminosa cultivada há muitos séculos no Sudoeste Asiático. No Brasil, o cultivo da soja só veio a ter grande impulso na década de 60, o que viabilizou a implantação de indústrias de óleo, considerado mais saudável ao consumo humano em relação às gorduras animais. Foto: Nutrição e Prazer

Assim, livre de produtos químicos como herbicidas, fungicidas e inseticidas, a soja orgânica acaba por ser um bom investimento para os agricultores familiares. De modo geral, o custo de produção é menor do que no sistema convencional e sua produção para consumo humano torna-se mais uma alternativa de renda.

Associada normalmente com a produção em grandes áreas de terras, a cultura se consolidou como a principal fonte de renda para a agricultura familiar no Rio Grande do Sul, estando presente em milhares de propriedades. A partir da implementação de políticas de crédito rural e de acesso à assistência técnica, a soja se disseminou de maneira rápida pela região Sul e recentemente vem conquistando também outras regiões do país.

Áreas de soja da agricultura familiar do Sul do país. Foto: Gazeta do Povo

Um exemplo dessas políticas que viabilizam a produção de soja nas pequenas e médias propriedades rurais é o Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB). Atualmente, para que uma cooperativa possa participar do PNPB, pelo menos 60% dos seus cooperados precisam ser agricultores familiares com Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP).

De acordo com o Censo Agropecuário de 2017, o valor bruto da produção (VBP) de soja atingiu R$ 3,99 bilhões somente em propriedades familiares no Rio Grande do Sul, sendo que a renda da soja entre os pequenos produtores cresceu 254% na comparação com o censo anterior, de 2006. Atualmente, o grão representa 20% do faturamento das unidades familiares, o que alcança R$ 20,26 bilhões. Isso significa que a soja é responsável por R$ 1 de cada R$ 5 gerados pela agricultura familiar no estado.

Foto: Canal Rural

Com a crescente demanda, puxada principalmente pela China e pelo interesse no plantio orgânico pelos importadores da Europa, a soja passou a ser vista como alternativa segura para a obtenção de renda. Além da constante demanda do setor de biodiesel nacional, que adquire parte da sua matéria-prima junto à agricultura familiar.

O mercado da soja tem alta liquidez, e com pagamentos à vista, transforma-se em vetor de crescimento para pequenos produtores de todo o país. Assim, a soja, além de aminoácidos, fibras, isoflavonas, proteínas e vitaminas, mantém seu enorme potencial de contribuição à agricultura familiar no Brasil, onde 70% dos alimentos são produzidos nas pequenas propriedades rurais.

Sai lista de produtos com descontos no Pronaf até 9 de janeiro

da Redação

A lista com os estados contemplados tem validade a partir de 10 de dezembro e traz apenas 7 produtos com direito a bônus nas operações de crédito: abacaxi, banana, borracha natural cultivada, castanha de caju, manga, maracujá e mel de abelha

Com base em pesquisa de preços de mercado efetuada pela Companhia Nacional de Abastecimento no mês passado, a CONAB, foi publicada a lista de produtos amparados pela Política de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF) com direito a bônus do governo federal no mês de dezembro nas operações de crédito pelas instituições financeiras.

A lista com os produtos e os estados contemplados tem validade de 10 de dezembro de 2020 a 9 de janeiro de 2021, conforme publicado na Portaria nº 36, da Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Em dezembro serão contemplados 7 produtos:
abacaxi, banana, borracha natural cultivada, castanha de caju, manga, maracujá e mel de abelha.

Os produtos que registraram queda de preço de mercado terão descontos no momento de amortização ou liquidação do crédito.

Segundo o Mapa para os agricultores que têm operações de investimento sem um produto principal, que é a fonte de renda para pagamento do financiamento, há o bônus da cesta de produtos. Nesses casos, os descontos são calculados por meio de uma composição dos bônus do feijão, leite, mandioca e milho.

O recebimento de bônus do PGPAF ocorre quando o valor de mercado de algum dos produtos do programa fica abaixo do preço de referência, permitindo ao produtor utilizar o valor como desconto no pagamento ou amortização nas parcelas de financiamento no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Os estados contemplados na lista deste mês são: Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Roraima, São Paulo e Sergipe.

O bônus é concedido sempre que o valor de mercado de algum dos produtos da PGPAF ficar abaixo do preço de garantia e deve ser utilizado como desconto para pagamento ou amortização de parcelas de financiamento no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, o PRONAF.

Leia aqui a portaria.

PRONAF: documentos necessários para solicitar o crédito

Foto: SEA-RN

A CONAFER divulga a lista de documentos necessários para seus associados solicitarem crédito do PRONAF (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), o programa de financiamento para custeio e investimentos em implantação, ampliação ou modernização da estrutura de produção, beneficiamento, industrialização e de serviços no estabelecimento rural ou em áreas comunitárias rurais próximas, visando à geração de renda e à melhora do uso da mão de obra familiar.

Em parceria com o Banco do Brasil através do BB Agro CONAFER, a confederação se coloca a disposição dos seus filiados para facilitar o acesso ao crédito.

Veja abaixo a lista de documentos e para onde enviá-los.

Veja lista de produtos e estados com desconto no PRONAF até 9 de dezembro

da Redação

A lista com os produtos e os estados contemplados tem validade de 10 de novembro a 9 de dezembro de 2020, conforme Portaria nº 33, da Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)

Com base em pesquisa de preços de mercado efetuada pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) no mês de outubro, foi publicada a lista de produtos amparados pela Política de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF) com direito a bônus do governo federal no mês de setembro nas operações de crédito pelas instituições financeiras. Em novembro serão contemplados os seguintes produtos: 

Banana
Borracha natural cultivada
Castanha de caju
Feijão-caupi
Manga
Maracujá 
Mel de abelha

Foto: Embrapa

Os produtos que registraram queda de preço de mercado terão descontos no momento de amortização ou liquidação do crédito. Segundo o ministério, para os agricultores que têm operações de investimento sem um produto principal, que é a fonte de renda para pagamento do financiamento, há o bônus da cesta de produtos. Nesses casos, os descontos são calculados por meio de uma composição dos bônus do feijão, leite, mandioca e milho.

O recebimento de bônus do PGPAF ocorre quando o valor de mercado de algum dos produtos do programa fica abaixo do preço de referência, permitindo ao produtor utilizar o valor como desconto no pagamento ou amortização nas parcelas de financiamento no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, o Pronaf. 

Foto: Prefeitura de Boa Vista

Estados contemplados: 

Alagoas
Bahia
Ceará
Espírito Santo
Mato Grosso do Sul
Maranhão
Paraíba
Pernambuco
Piauí
Sergipe 
Tocantins

Nova lista de produtos com descontos no Pronaf é válida até 9 de novembro

da Redação

A lista com os produtos e os estados contemplados têm validade de 10 de outubro a 9 de novembro de 2020

Com base em pesquisa de preços de mercado no mês de setembro, efetuada pela Conab, a Companhia Nacional de Abastecimento, saiu a lista de produtos amparados pela Política de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar, a PGPAF, que dará direito a bônus do governo federal no mês de outubro/início de novembro, nas operações de crédito das instituições financeiras. 

Foto: Região dos Vales

A lista com os produtos e os estados contemplados tem validade de 10 de outubro a 9 de novembro de 2020, conforme publicado na Portaria nº 31, da Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Neste mês, serão contemplados 9 produtos: açaí, banana, borracha natural cultivada, castanha de caju, feijão caupi, laranja, mamona em baga, mel de abelha e raiz de mandioca. 

Com os descontos do Produtos, os produtos que registraram queda de preço de mercado terão descontos no momento de amortização ou liquidação do crédito.
Esta é a hora do pequeno produtor amenizar ou até mesmo recuperar perdas de produção.

Agricultores sem um produto principal, tem bônus na cesta de produtos

Foto: Jornal de Lins

Segundo o Mapa, Ministério da Agricultura, para os agricultores que têm operações de investimento sem um produto principal, que é a fonte de renda para pagamento do financiamento, há o bônus da cesta de produtos. Nesses casos, os descontos são calculados por meio de uma composição dos bônus do feijão, leite, mandioca e milho.

Os estados contemplados na listagem de outubro: 

Acre
Bahia
Ceará
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso do Sul
Maranhão
Paraíba
Pará
Paraná
Pernambuco
Piauí
Santa Catarina 
Tocantins

Até 9 de novembro serão contemplados 9 produtos:

Açaí
Banana
Borracha natural cultivada
Castanha de caju
Feijão caupi
Laranja
Mamona em baga
Mel de abelha
Raiz de mandioca

O bônus é concedido sempre que o valor de mercado de algum dos produtos da PGPAF (a política de garantia de preços) ficar abaixo do preço de garantia e deve ser utilizado como desconto para pagamento ou amortização de parcelas de financiamento no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, Pronaf.

DAP com vigência até último dia de 2020 tem validade prorrogada

da Redação

A DAP, Declaração de Aptidão ao Pronaf, o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, é fundamental para o agricultor ter acesso às políticas de fomento do governo federal

Foto: Unicafes

Em função da Covid-19, o Ministério da Agricultura publicou a Portaria n° 129, prorrogando os prazos de validade das DAPs Ativas por 6 meses, isto para aquelas que expirarão entre 24 de setembro e o último dia do ano de 2020.

Outra prorrogação na mesma portaria define em 3 meses a vigência das DAPs Ativas que expirarão a partir do dia 1º de janeiro a 31 de março de 2021.

LEIA TAMBÉM:

Agricultores com DAP ativa podem pedir desbloqueio do Garantia Safra

As alterações serão realizadas diretamente nas DAPs, de forma automática, e poderão ser consultadas no “Extrato DAP”. A medida tem objetivo de evitar a movimentação de agricultores até os órgãos e entidades emissores da declaração.

A Declaração de Aptidão ao Pronaf é um documento que identifica o produtor familiar e é essencial para que o agricultor participe das políticas públicas para a agricultura familiar, como financiamento da habitação rural e o Programa de Aquisição de Alimentos.

Foto: Revista Globo Rural

Todas as categorias de agricultores familiares podem ser beneficiados com a DAP: pescadores artesanais, aquicultores, maricultores, silvicultores, extrativistas, quilombolas, indígenas, assentados da reforma agrária e beneficiários do Terra Brasil – Programa Nacional de Crédito Fundiário.

Sai lista dos produtos com desconto no PRONAF até 9 de outubro

da Redação

A lista com os produtos e os estados contemplados têm validade de 10 de setembro a 9 de outubro de 2020, conforme Portaria nº 29, da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura

Com base em pesquisa de preços de mercado efetuada pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) no mês passado, foi publicada a lista de produtos amparados pela Política de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF) com direito a bônus do governo federal no mês de setembro nas operações de crédito pelas instituições financeiras.

Foto: Canal Rural

Em setembro serão contemplados os seguintes produtos: açaí, banana, borracha natural cultivada, cacau (amêndoa), cana-de-açúcar, cará/inhame, castanha de caju, feijão caupi, laranja, mel de abelha, pimenta do reino e raiz de mandioca. Os produtos que registraram queda de preço de mercado terão descontos no momento de amortização ou liquidação do crédito.

Segundo o ministério, para os agricultores que têm operações de investimento sem um produto principal, que é a fonte de renda para pagamento do financiamento, há o bônus da cesta de produtos. Nesses casos, os descontos são calculados por meio de uma composição dos bônus do feijão, leite, mandioca e milho.

LEIA TAMBÉM:

Auxílio emergencial aos agricultores aprovado na Câmara inclui prorrogação de dívidas e PRONAF

Após ciclone-bomba, produtores de banana têm 60% de subvenção no Pronaf

O recebimento de bônus do PGPAF ocorre quando o valor de mercado de algum dos produtos do programa fica abaixo do preço de referência, permitindo ao produtor utilizar o valor como desconto no pagamento ou amortização nas parcelas de financiamento do PRONAF.

Os estados contemplados na lista deste mês são: 

Acre
Alagoas
Amazonas
Bahia
Ceará
Espírito Santo
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Pará
Paraíba
Paraná
Pernambuco
Piauí
Rondônia
Santa Catarina
Tocantins 
Sergipe

Após ciclone-bomba, produtores de banana têm 60% de subvenção no Pronaf

da Redação

A cultura da banana foi incluída no projeto-piloto do Seguro Rural do Pronaf; dos R$ 50 milhões para apólices de seguro rural em todo o país, R$ 10 milhões são para a banana

Depois da tempestade, a bonança, ou ao menos a diminuição dos prejuízos do ciclone-bomba com uma subvenção para o seguro da safra. A Resolução 76, do Comitê Gestor Interministerial do Seguro Rural, aprovou a inclusão da cultura da banana no projeto-piloto de subvenção ao prêmio do seguro rural para operações enquadradas no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, o Pronaf.

Esta boa notícia para os pequenos produtores, ao incluir a banana no projeto-piloto, vai possibilitar a contratação de seguro rural com uma subvenção maior para quem foi atingido por intempéries, como o ciclone-bomba que destruiu muitas produções nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná.

Além da banana, as culturas de milho 1ª safra, soja, maçã e uva já estavam previstas no âmbito do Programa de Seguro Rural, o PSR, no exercício de 2020. No projeto-piloto, os produtores podem acessar o seguro agrícola de julho a meados de setembro com subvenção de 60% para banana, maçã e uva.

Foto: VEJA

Os demais, que não acessam ou não se enquadram no Pronaf, podem também ter acesso ao seguro agrícola com subvenção de 40% do prêmio nessas culturas. Serão destinados R$ 50 milhões para subvencionar a contratação de apólices de seguro rural em todo o país, R$ 10 milhões para banana, maçã e uva e R$ 40 milhões para soja e milho verão.

Soja e milho terão subvenção de 55%, e o produtor do Pronaf conta com um seguro de multirrisco, com nível de cobertura mínimo de 70% da produtividade estipulada. Para produtores que não acessam ou não estão enquadrados no Pronaf, a subvenção é de 20% a 30%, dependendo do tipo de seguro e das coberturas.

O produtor rural que quiser aderir ao projeto deve contratar uma apólice de seguro em uma das 14 seguradoras habilitadas no PSR, ao contratar o crédito rural em sua instituição financeira. Serão disponibilizados recursos de maneira escalonada entre os meses de julho e setembro.

Neste segmento econômico em que as condições climáticas influenciam decisivamente no resultado final da produção, poder contratar um seguro agrícola traz uma garantia para os pequenos agricultores não perderem totalmente a venda do que produziram já com grandes dificuldades pela pandemia e a longa crise econômica.

Leia aqui a Resolução 76 que inclui a cultura da banana na subvenção no Pronaf

Capa: Fonte desconhecida