Plantando alimentos, colhendo saúde: sobre infecção urinária

VOCÊ SABIA?


A infecção urinária é uma doença comum entre as mulheres. Ela ocorre por diversos fatores,
como segurar a urina mesmo estando com muita vontade de utilizar o banheiro, higiene
incorreta da região perineal permitindo que as bactérias do trato gastrointestinal migrem para
a bexiga e devido às relações sexuais. Existem dois tipos: a cistite que causa problemas na
bexiga, e a pielonefrite que afeta os rins. Ambas causam problemas para a saúde, porém, a
segunda é mais grave, provocando sintomas mais rigorosos.


Se você já teve infecção de urina sabe o quanto os sintomas são desagradáveis e por este
motivo preparamos um material muito especial que vai te ajudar. Confira nosso informativo.


No Outubro Rosa, CONAFER ajuda as mulheres a se tocarem sobre o Câncer de Mama

da Redação

Participar das ações do mês de Outubro, ajuda a salvar vidas. A CONAFER apoia esta causa e por meio da SEAGRO (Secretaria Nacional de Agroecologia, Políticas Agrárias e Meio Ambiente), lança uma cartilha com informações importantes sobre Saúde da Mulher

A CONAFER apoia o movimento Outubro Rosa e acredita que essa é uma oportunidade de compartilhar informações sobre o câncer de mama e conscientizar o máximo de mulheres sobre a importância de detectar a doença de forma precoce, principalmente entre as nossas agricultoras.

Um dos principais objetivos do Outubro Rosa é ampliar o acesso aos serviços de diagnóstico, de forma a favorecer a detecção precoce do câncer de mama. Quanto antes for detectado, mais eficiente será o tratamento.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, o Inca, o câncer de mama é o tipo mais comum da doença entre as mulheres em todo o mundo, alcançando quase um terço dos casos. Falar sobre a doença e compartilhar informações ajuda a esclarecer mitos e é decisivo na disseminação da ideia da prevenção.

Foto: Sanar Medicina

O autoexame das mamas – no banho ou em um momento de troca de roupa, por exemplo – é fundamental para a descoberta de pequenas alterações, como a ocorrência de nódulos. O autoexame de mama é indicado para todas as mulheres a partir dos 20 anos. Como as mamas podem ficar inchadas antes e durante o período menstrual, a recomendação é fazer o exame 7 dias depois do início do sangramento.

Se notou alguma alteração nas mamas durante o autoexame, o primeiro passo é manter a calma, pois a maior parte dos caroços é benigna, podendo corresponder a um cisto sebáceo, um furúnculo (íngua) ou uma inflamação dos gânglios, o próximo passo é procurar o médico que vai indicar como proceder.

CONAFER lança cartilha sobre a Saúde da Mulher

A Secretaria de Agroecologia, SEAGRO, criou uma cartilha com informações importantes sobre a saúde da mulher com orientação sobre alimentação e práticas de exercícios, uma combinação decisiva na saúde de qualquer pessoa.

O câncer de mama tem um índice significativo de cura, chegando a 95% dos casos quando a detecção é precoce. Adotar uma alimentação saudável, rica em alimentos de origem vegetal, praticar atividades físicas, não fumar e evitar bebidas alcoólicas são medidas que colaboram para a prevenção.

LEIA TAMBÉM:

Secretaria de Agroecologia da CONAFER lança campanha “Plantando Alimentos, Colhendo Saúde”

Movimento mundial com a cor rosa surgiu nos anos 1990

Foto: Blog Londrina

O Outubro Rosa foi uma ideia que se desenvolveu com a realização da Corrida pela Cura do Câncer de Mama em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Desde então, ganhou repercussão mundial, com o uso da cor rosa associado a medidas de prevenção à doença.

O símbolo da campanha é o laço rosa, feito originalmente pela Fundação Susan G. Komen e distribuído na corrida. Os laços se popularizaram depois e foram usados também para enfeitar locais públicos e eventos de apoio à causa. Monumentos e prédios públicos também passaram a ser iluminados com luz rosa para lembrar a luta contra a doença.

Capa: Catraca Livre

Plantando Alimentos, Colhendo Saúde: dicas de beleza com babosa


Você sabe quais são as vantagens da BABOSA?
A babosa (aloe vera) é utilizada como planta medicinal há milhares de anos, é oriunda da África. Essa planta carrega inúmeros benefícios, vamos listar algum deles para você:

  • Anti-inflamatória
  • Cicatrizante
  • Acelera a cura de problemas de pele como a acne, erupções cutâneas, feridas, cortes e arranhões e picadas de inseto.
  • Combate ao câncer de pele
  • Reduz a celulite
  • Hidratante natural
  • Antirrugas natural
  • Alivia a irritação cutânea

Vamos hidratar o cabelo com babosa?


Corte a folha da babosa lateralmente e retire o gel de dentro, misture esse gel nos cabelos. Deixe agir por 30 minutos, depois enxague. Você também pode misturar o gel da babosa com algum creme que você já utiliza no cabelo.
Isso hidrata os fios, previne caspas e reduz a queda.


Fazendo seu próprio condicionador:

  • Use 3 colheres de sopa de babosa
  • 3 colheres de sopa de óleo de coco


Misture os dois ingredientes até que fiquem na textura ideal, aplique nos cabelos úmidos e deixe agir por 15 minutos, depois enxague.


O gel retirado da folha da babosa também pode ser usado no rosto:

Aplique no rosto, sem deixar ter contato com os olhos e deixe agir por 15 minutos, depois enxague.


Benefícios: secar espinhas, hidratar a pele, clarear manchas, acalmar acnes inflamatórias.

Secretaria de Agroecologia da CONAFER lança campanha “Plantando Alimentos, Colhendo Saúde”

da Redação

A SEAGRO, Secretaria Nacional de Agroecologia, Políticas Agrárias e Meio Ambiente, por meio de sua equipe de coordenação de saúde, vai trazer toda semana as melhores práticas na prevenção de doenças e cuidados na alimentação

A campanha “Plantando Alimentos, Colhendo Saúde” busca resgatar os saberes populares que sempre foram cultivados em comunidades, as quais utilizavam seus alimentos como o seu próprio remédio. Nosso propósito é recuperar esses valores pelo conhecimento da cultura tradicional. 
O espaço da horta e o ambiente do cultivo é também um lugar de socialização, bem-estar e um caminho de benefícios que a nossa saúde não pode abrir mão. Saber de onde vem nosso alimento e conhecer suas vantagens é fundamental para uma vida saudável. Mas é na sustentabilidade deste sistema alimentar que encontramos o seu maior valor, pois a agroecologia além de produzir nosso alimento, mantém o nosso espaço ambientalmente saudável.

Diversas cartilhas vão orientar sobre alimentação e cuidados na saúde

Semanalmente vamos publicar as dicas e as melhores maneiras para auxiliar na prevenção de doenças e manutenção da saúde, as queixas principais, educação alimentar e outras maneiras de intervenções, pensando sempre no que temos de possibilidades no quintal da nossa casa ou no espaço verde de um apartamento.
O foco da campanha é trazer conteúdos alternativos e educadores como alimentos saudáveis que ajudam a amenizar sintomas, como utilizar e cultivar as ervas medicinais, informativos sobre manutenção de saúde e prevenção de doenças.

O propósito da SEAGRO é ajudar as pessoas a cuidar da saúde de maneira natural, buscando resultados pela fitoterapia e práticas comuns, terapias que adotam o uso interno de substâncias de origem vegetal e mineral, as hortas domésticas e orgânicas, facilitando o acesso da população a alimentos com qualidade garantida.
Este alimentos livres de agrotóxicos e outras toxinas que fazem mal ao nosso organismo, se contrapõem às práticas populares de plantio do alimento, e que teve um grande declínio principalmente devido a urbanização, pois com o tempo e a falta de espaços físicos, a população foi se afastando dessas atividades agroecológicas.
Gostaríamos ainda de propor medidas de retomadas às hortas domésticas, que podem ser consideradas promotoras da saúde, além de serem econômicas e mais saudáveis. Sendo assim, a campanha “Plantando Alimentos, Colhendo Saúde”, nasce com o objetivo de incentivar as pessoas a optarem pelos alimentos naturais, buscando-os bem próximos e no seu cotidiano.
A proposta traz consigo métodos de interação com o público por meio de cartilhas, vídeos e outros meios de comunicação, de forma criativa e de fácil compreensão. As cartilhas terão conteúdo como dicas e explicações de maneira interativa e dinâmica utilizando recursos de linguagem como o “Você sabia?”. 
Faremos também podcasts com conteúdos de 5 a 7 minutos, em um bate- papo informal para esclarecer os assuntos abordados. Tais recursos serão utilizados para facilitar a comunicação com mais conteúdos e informações aos afiliados da CONAFER e à comunidade em geral. Como parte da campanha, traremos a proposta de um calendário anual elencando datas importantes relacionadas à saúde e ao meio ambiente.

Sobre a SEAGRO

VOCÊ SABIA?

Que nós da SEAGRO entendemos e acreditamos na produção de alimento saudável e sustentável, nas famílias envolvidas no cuidado do plantio, em um movimento que consegue interligar outros eixos centrais como o trabalho digno, o empoderamento feminino e a luta pela democracia?
Além disso, não podemos deixar de lembrar nesse momento tão difícil para o meio ambiente brasileiro, da nossa Floresta Amazônica e Pantanal mato-grossense, onde seguem com toda a riqueza de sua biodiversidade ameaçadas nas queimadas desenfreadas e criminosas, consequências aos desmatamentos irregulares nessas regiões.

LEIA TAMBÉM:

CONAFER apoia todos os semeadores da agroecologia


Lutamos e seguimos acreditando nas palavras assertivas de Ana Primavesi, inspiradora do Dia Nacional da Agroecologia comemorado no dia 3 de outubro em homenagem ao seu nascimento, em 1920. Ana Primavesi foi engenheira agrônoma, escritora e uma referência nos avanços de pesquisas sobre o manejo do solo de maneira ecológica. 
Para esta mulher visionária, “sem a natureza não existimos mais, ela é a base da nossa vida. Lutar pelas florestas, lutar pelas plantas, lutar pela agricultura, porque se não vivermos dentro da agricultura, vamos acabar. Não tem vida que continue sem terra, sem agricultura!”

CONAFER apoia todos os semeadores da agroecologia

da Redação

Para comemorar o Dia da Agroecologia, a SEAGRO, Secretaria Nacional de Agroecologia, Políticas Agrárias e Meio Ambiente, está lançando duas cartilhas com informações importantes sobre alimentação e saúde

A criação do Dia Nacional da Agroecologia é uma homenagem ao nascimento (1920) da engenheira agrônoma e escritora, Ana Maria Primavesi, uma referência nos avanços de pesquisas sobre o manejo do solo de maneira ecológica. Primavesi é também uma das principais pesquisadoras da agricultura orgânica, que compreende o solo como um organismo vivo.

É um dia para chamar atenção da sociedade para a importância da agroecologia na saúde de todos e do meio ambiente. Por isso, tornar o cultivo na agricultura familiar totalmente sustentável é uma opção decisiva para proteger a saúde, o planeta e todo o segmento econômico.

No Território Girassóis, em Aiuruoca, MG, a SEAGRO prepara os canteiros para receber as sementes de milho crioulo , mandioca, batata, abóboras e árvores frutíferas em um processo 100% agroecológico.


Defensora das práticas sustentáveis para todo o segmento econômico da agricultura familiar, a CONAFER investe em projetos agroflorestais por meio de SAFs, Sistemas Agroflorestais, que buscam a recuperação de áreas desmatadas em consórcio com a produção agrícola, beneficiando o equilíbrio do ecossistema pela maior absorção do carbono.
A Confederação ainda apoia o controle biológico em todos os tipos de cultura, contrapondo-se ao uso de agroquímicos no controle da produção. E atua na segurança alimentar por meio do cumprimento da Agenda 2030 da ONU pela erradicação da fome no mundo por meio de uma agricultura de baixo carbono.

A Secretaria de Agroecologia da CONAFER lançou duas cartilhas para comemorar a data

A SEAGRO, Secretaria Nacional de Agroecologia, Políticas Agrárias e Meio Ambiente, trabalha pelo resgate da sabedoria ancestral em harmonia com a contemporaneidade, unindo a sabedoria das práticas ancestrais, o conhecimento científico da natureza e as técnicas da moderna agroecologia. 

Para o Dia da Agroecologia, a SEAGRO publica aqui duas cartilhas com informações importantes sobre alimentação e saúde. Leia e saiba mais sobre a importância da agroecologia em nossas vidas e na  sustentabilidade do planeta.

Você sabia que a chave para uma boa saúde são os alimentos que você consome?

A alimentação adequada é a base para uma vida saudável. Não é sobre a quantidade deles, mas sim a QUALIDADE. Os alimentos possuem diferentes nutrientes que são essenciais para o nosso organismo, como carboidratos, lipídeos, sais minerais, vitaminas e proteínas. São esses nutrientes que favorecem o funcionamento correto do nosso corpo. Além disso, eles podem nos prevenir de doenças e fortalecer nossa imunidade! Fique atento às nossas dicas para a manutenção da sua saúde. Em breve a SEAGRO trará novidades.

Uma Secretaria para resgatar a vocação da agricultura familiar livre e autônoma

da Redação
Nesta entrevista, conheça os projetos e os desafios da Secretaria Nacional de Agroecologia, Políticas Agrárias e Meio Ambiente da CONAFER
A mais de 400 km de Belo Horizonte, ao Sul de Minas Gerais, entre os municípios de Aiuruoca e Carvalhos, no pé da Serra da Mantiqueira, a 1400 m de altitude, um novo território, livre e autônomo, nasceu para ser um modelo de produção agroecológica para todo o Brasil. Este lugar, tão inspirador por sua biodiversidade, de uma natureza exuberante rodeado por araucárias e numerosas nascentes, e que recebeu o nome de Território Livre Girassóis, é a sede da Secretaria Nacional de Agroecologia, Políticas Agrárias e Meio Ambiente da CONAFER.
A SECOM foi até Girassóis, na semana em que a Diretoria Nacional da Confederação se reuniu com Secretários e Coordenadores, e conversou com a direção da Secretaria que é um marco no trabalho da CONAFER, e portanto, fundamental nos planos e estratégias de atuação da entidade frente aos desafios que se apresentam na defesa de um novo tempo da agricultura familiar brasileira.

 

SECOM:
Qual a atuação da Secretaria Nacional de Agroecologia, Políticas Agrárias e Meio Ambiente no trabalho da CONAFER pela agricultura familiar e o empreendedorismo rural?
SEAGRO:
O trabalho da Secretaria é trazer o resgate da sabedoria ancestral em harmonia com a contemporaneidade, isto é, unir as práticas de nossos antepassados de respeito e cuidados com a natureza, aliando esta sabedoria com as técnicas da moderna agroecologia. É preciso lembrar que a “revolução verde” dos anos 60 beneficiou apenas o agronegócio e suas exportações de monoculturas, e que passou a usar os agrotóxicos como base de produtividade, enquanto os pequenos produtores foram encurralados pelo mercado, perderam sua autonomia e apenas colheram dívidas com os bancos. Temos de esclarecer os nossos produtores rurais, relembrar esta história e a partir daí promover a inserção dos nossos agricultores familiares e empreendedores rurais em um novo modelo de desenvolvimento econômico, totalmente independente e sustentável.
 

SECOM:
Como a Secretaria está contribuindo para a CONAFER cumprir os seus objetivos de curto e médio prazos?
SEAGRO:
A nossa principal ação para cumprir as metas da CONAFER neste ano e para nos próximos, é a implantação de um território livre e autônomo, um modelo único no país, com uma política própria de soberania alimentar, de autossuficiência hídrica e energética, de liberdade educacional, de independência econômica e autodeterminação como um gesto permanente. Com o apoio financeiro da CONAFER conquistamos um território em uma região geopoliticamente estratégica, que une área de plantio com reserva ambiental, ideal para projetos agroflorestais, com acesso aos diversos modais que ligam o Sudeste com o restante do país. Estamos semeando um padrão de produtividade para levar aos outros territórios esta capacidade de se autossustentar, ao mesmo tempo em que buscamos integrar os nossos agricultores ao competitivo mercado de alimentos. Hoje, sabemos que apenas políticas sociais sem o contraponto da regularização fundiária e consequente crédito para investimentos em produção, impedem a autonomia dos nossos agricultores, fomentam a miséria no campo e inviabilizam o futuro da agroecologia.

SECOM:
Que oportunidade surge diante da conjuntura nacional e internacional por conta das mudanças que ocorrem no mundo, como por exemplo, um novo modelo de consumo mais sustentável e saudável?
SEAGRO:
São inúmeras as oportunidades que vislumbramos. Em relação à produção alimentar, com as drásticas mudanças climáticas que vêm ocorrendo, a escassez de recursos naturais, principalmente as dificuldades de acesso à água limpa em todo o mundo, torna-se urgente que os produtores rurais liderem um movimento dentro de uma proposta de desenvolvimento econômico que mantenha o compromisso com a sustentabilidade na produção, protegendo-se o meio ambiente e a saúde das pessoas. Em primeiro lugar, devemos perguntar ao agricultor, por exemplo, como era a água que brotava em suas nascentes há 50 anos, e o que foi feito, por que ela é escassa e contaminada agora? Então, vamos trocar estas práticas de escassez pelas práticas de abundância. Agora é o momento de chamar todos à reflexão e recomeçar do zero. Esta pandemia está sinalizando para isso.
SECOM:
Como a Secretaria encara a missão que se impõe da agricultura familiar cuidar das famílias brasileiras?
SEAGRO:
É com muita honra e alegria que fazemos parte deste desafio de ajudar a cuidar das famílias brasileiras, levando alimentos saudáveis e mais saúde por conta disso. Toda a equipe da Secretaria está diariamente motivada para esta missão. Nosso horário de trabalho aqui na Girassóis, sede da SEAGRO, começa na hora que o sol nasce e termina na hora que ele se põe. Cuidar da vida em suas múltiplas formas é um privilégio para nós. A nossa Secretaria é uma unidade produtiva, e não apenas administrativa. Por isso, cultivamos a terra, cuidamos do meio ambiente onde a Girassóis está integrada e produzimos sistemas para levar aos associados da CONAFER orientação e consultoria técnica na transição das práticas produtivas convencionais para uma avançada produção agroecológica. O nosso compromisso é com a prosperidade da agricultura familiar em todo o território nacional.