da Redação

O Sistema Nacional de Meteorologia fez uma previsão nada otimista para o campo em relação ao clima dos próximos dias, e que deve impactar fortemente o segmento agrofamiliar, principalmente a hortifruticultura, em especial, na produção de legumes e verduras responsáveis diretamente pela segurança alimentar do brasileiro. Esta nova e acentuada queda nas temperaturas pode ter recorde negativo em algumas regiões do país, com o Sul naturalmente recebendo a carga maior do volume de massa polar que vai invadir todo o território nacional. Isto porque o ar gelado vai chegar até na Amazônia Legal para se ter uma ideia do impacto climático. É momento de proteger a produção com os recursos disponíveis, ao mesmo tempo, em que para milhões de pequenos produtores é hora de buscar uma proteção financeira, como o Seguro Rural para pessoas físicas ou jurídicas, o Proagro ou o Garantia-Safra, no caso dos produtores de baixa renda

As frentes frias se formam quando uma massa de ar mais frio se move para uma área de ar mais quente no rastro de um ciclone extratropical em desenvolvimento. O ar mais quente interage com a massa de ar mais frio ao longo da fronteira e geralmente produz precipitação. É o que está acontecendo agora em todo o sistema atmosférico desta parte do continente sul-americano. A previsão é de que teremos a maior onda de frio dos últimos 100 anos, o que significa muito frio e prejuízos nas lavouras, tanto por conta das geadas, como pelas chuvas que devem chegar com muito volume pluviométrico em muitas regiões produtoras.

Com a entrada desta robusta onda de frio, as regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e sul da região Norte devem ter queda de temperatura entre os dias 28 de julho e 1° de agosto. Também há previsão de geadas amplas. Com as atualizações dos principais modelos numéricos de previsão do tempo do dia (26) e as análises dos Meteorologistas do Sistema Nacional de Meteorologia (SNM), persiste a previsão de que a partir de hoje (27) as temperaturas entrem em declínio acentuado no Rio Grande do Sul. Com o deslocamento da frente fria, a chuva ainda está prevista para os três estados da Região Sul até amanhã e também deverá atingir o sul do Mato Grosso do Sul; posteriormente no dia 28 (quarta-feira), deverá ocorrer no Sudeste (leste de São Paulo com maiores volumes), sul de Minas Gerais, e na sequência, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Ainda no dia 28, a presença de um ciclone extratropical no Oceano Atlântico, intensificará os ventos no litoral da Região Sul e também favorecerá a incursão de umidade nas serras gaúcha e catarinense. A combinação de umidade com o ar frio poderá favorecer à ocorrência de chuva congelada e/ou queda de neve nas áreas de maior altitude.

Além da Região Sul, o ar frio predominará por toda a Região Sudeste, Centro-Oeste e sudoeste da Amazônia Legal entre os dias 28 e 31/07, ocasionando mais um episódio de Friagem. Já no período de 30/07 a 01/08, o ar frio deverá avançar também pelo sul da Bahia e partes do interior da Região Nordeste (declínios de temperaturas entre 6ºC e 4°C, especialmente nas áreas de maior altitude).

Geadas e chuvas vão cobrir as lavouras em muitas regiões

Já há indícios de ocorrências pontuais na região da Campanha Gaúcha, na fronteira com o Uruguai, na madrugada do dia 27 (terça-feira). Já na madrugada do dia 28 (quarta-feira), há previsão de geadas amplas, que podem chegar à forte intensidade em algumas áreas, em todo interior do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, além do sul e sudoeste do Paraná e, com menores chances, de forma mais pontual e de menor intensidade, entre o noroeste do Paraná e o extremo sul do Mato Grosso do Sul.

No dia 29/07, há previsão de geada ampla em praticamente toda a Região Sul, sul do Mato Grosso do Sul e sudeste de São Paulo (com intensidade variando de moderada a forte). Também não se descarta episódio pontual de chuva congelada nas áreas de maior altitude da Serra da Mantiqueira (divisa entre São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro – região de Itatiaia).

Já no dia 30/07 a previsão de geada se entende para todo o estado de São Paulo, sul, Campo das Vertentes, oeste, Triângulo e Alto Paranaíba em Minas Gerais (área de divisa com São Paulo – Serra da Mantiqueira, poderão ter intensidade moderada a forte). Também poderá ocorrer de forma mais isolada no sul de Goiás.

A previsão de geadas pode ser consultada na Plataforma de Monitoramento de possíveis Geadas no Brasil

As previsões detalhadas e os Avisos Meteorológicos Especiais podem ser acessadas nos seguintes endereços: https://portal.inmet.gov.br/ e http://alert-as.inmet.gov.br/cv/

Proteção financeira contra quebras por fenômeno climático

O Banco do Brasil é o principal agente financeiro na execução dos programas de proteção das safras por quebras em função do clima.

Para 2022, o Seguro Rural foi ampliado, mais que dobrando a área segurada e os produtores atendidos. A subvenção ao Prêmio do Seguro Rural será de R$ 1 bilhão.

O Proagro, Programa de Garantia da Atividade Agropecuária, é um programa que garante o pagamento de financiamentos rurais de custeio agrícola quando a lavoura amparada tiver sua receita reduzida por causa de eventos climáticos ou pragas e doenças sem controle.

O Garantia-Safra é um benefício aos agricultores com renda mensal de até 1 salário mínimo e meio, quando tiverem perdas de produção nos municípios igual ou superior a 50%. O Garantia-Safra prevê o repasse de R$ 850, que tem sido disponibilizado em parcela única, devido à Covid-9. É possível ver a situação da inscrição e da DAP pela internet. Basta acessar os links disponíveis no portal do Ministério da Agricultura e inserir o número do CPF para verificação.

Com informações do Mapa.

Recommended Posts