da Redação

Apesar de muitos analistas econômicos colocarem um peso maior na balança das exportações de commodities na alta do PIB, o setor agropecuário sofre influência decisiva da produção agrofamiliar; responsáveis por 10% da geração de riquezas do país, os pequenos agricultores com sua produtividade contribuíram para a mudança do cenário agropecuário no primeiro trimestre de 2021

Segundo dados divulgados nesta terça-feira (1°) pelo IBGE, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o PIB, Produto Interno Bruto, do setor agropecuário foi o que mais cresceu no primeiro trimestre de 2021. O segmento teve 5,7% de crescimento na comparação com o quarto trimestre do ano passado e 5,2% em relação a igual período de 2020.

O PIB brasileiro cresceu 1,2% na comparação do primeiro trimestre de 2021 contra o quarto trimestre de 2020, na série com ajuste sazonal. Além da Agropecuária (5,7%), foram registrados índices positivos na Indústria (0,7%) e nos Serviços (0,4%).
O IBGE esclarece que o resultado do setor agropecuário pode ser explicado, principalmente, pelo desempenho positivo de alguns produtos da lavoura com safra relevante no primeiro trimestre, como soja, fumo e arroz, e pela produtividade.

Em valores correntes, o PIB totalizou R$ 2,048 trilhões neste primeiro trimestre. Os segmentos tiveram os seguintes resultados: Agropecuária R$ 208,8 bilhões, Indústria R$ 348,6 bilhões, e Serviços R$ 1.195,9 trilhão. A participação percentual dessas atividades no valor adicionado, foram de 6,8% para a Agropecuária, 20,4% Indústria e 72,8% Serviços.

Por que a produção agrofamiliar é relevante na alta do PIB?

Sabemos que durante o período da pandemia, os agricultores familiares para garantir a segurança alimentar do país, tiveram que se reinventar e evoluir nas relações de produção e comercialização dos seus produtos. Afastados dos grandes centros urbanos, os nossos pequenos produtores seguiram no dia a dia em busca das melhores safras e de alternativas de escoamento da produção.

E conseguiram demandar seus produtos para cumprir sua missão de alimentar a nação, ao mesmo tempo, em que entregaram às agroindústrias boa parte da matéria-prima utilizada em suas produções de escala, sendo responsáveis por uma imensa cadeia produtiva, como a do leite, por exemplo.

Basta dar uma olhada na participação da agricultura familiar brasileira na produção de alimentos, para entender a importância deste segmento na composição do PIB Agropecuário, conforme o Censo do IBGE para o setor em 2018:

Neste mesmo Censo, foi constatado que a economia de 90% dos municípios com até 20 mil habitantes é dependente da agricultura familiar. Mais ainda, 40% da população economicamente ativa depende desta atividade, destes trabalhadores do campo que produzem 73% do alimento que vai à mesa dos brasileiros diariamente.

Com informações do Mapa.

Compartilhe:

Assine a nossa newsletter
Fique por dentro de tudo que acontece aqui.

CONAFER - 2022