O encontro “Diálogo Indígenas para Proteção Territorial’’, que ocorreu entre os dias 8 e 11 deste mês, teve o objetivo de intercambiar experiências entre indígenas do Brasil, em especial do norte do Tocantins, e dos Estados Unidos. O encontro foi na cidade maranhense de Carolina, 800 km da capital São Luís, localizada à margem direita do belo rio Tocantins, na divisa do estado tocantinense. O município abriga o Centro Pênxwyj Hempejxà, em uma região que faz parte do território histórico dos Timbira. Povos originários de 19 territórios das Américas, sendo 13 brasileiros e 6 norte-americanos, expuseram costumes, tradições e a suas relações com o meio ambiente, em especial da convivência com suas biodiversidades e a gestão de seus territórios

A pauta principal do encontro trabalhou com os desafios e estratégias da gestão ambiental e proteção territorial indígena para manutenção da biodiversidade e dos modos de vida das comunidades originárias e tradicionais. Foi discutido e pontuado um conjunto de estratégias e ações para o enfrentamento das pressões e ameaças do entorno de seus territórios, por meio da vigilância e controle territorial, para o manejo integrado do fogo, restauração florestal, mapeamento, monitoramento e fortalecimento de práticas tradicionais de gestão.

Várias organizações e associações contribuíram para o sucesso do “Diálogo Indígenas para Proteção Territorial’, como a Associação Wyty Catê das Comunidades Timbira do Maranhão e Tocantins; a Coordenação das Organizações e Articulações dos Povos Indígenas do Maranhão – COIAPIMA; a Articulação das Mulheres Indígenas do Maranhão – AMIMA; a Native Americam Fish e Wildlife Society – NAFWS; o Instituto Sociedade População e Natureza – ISPN; o Centro de Trabalho Indigenistas – CTI; a Agência dos Estados Unidos para Desenvolvimento Internacional – USAD; o U.S Department of the Interior; a Native American Fish and Wildlife Society; a Coordenação dos Povos Indígenas da Amazônia Brasileira – COIAB, e a CONAFER, representada pelo Coordenador de Gestão Ambiental, Marcelo Trindade Santana, além do Assessor da Secretaria de Assuntos Indígenas, Álvaro Santos de Oliveira Xukuru.

Com apoio de parcerias nacionais e internacionais, iniciativas de proteção ambiental vêm sendo realizadas por grupos de Guardiões e Guerreiras da Floresta, Brigadistas e Agentes Ambientais brasileiros. Na oportunidade estes grupos tiveram a oportunidade de trocar experiências com os contextos e estratégias dos indígenas norte-americanos, importante para a reflexão e articulação nas ações desenvolvidas em defesa e sustentabilidade das terras indígenas.

Marcelo Trindade Santana, Coordenador de Gestão Ambiental da CONAFER, durante sua exposição no evento

O Coordenador Marcelo Santana, evidenciou a busca pela autonomia dos povos e o fortalecimento de parcerias para desenvolvimento ambiental nos territórios, mostrando que a Confederação trabalha nesta linha de pensamento proposto nas discussões do evento, ao afirmar que “a CONAFER está disponível para apoiar nas ações de gestão, proteção e manejo integrado do fogo, além de desenvolver treinamentos e capacitação em diversos segmentos”.

Etnias e territórios indígenas brasileiros presentes no evento:

Etnias e territórios indígenas norte-americanos presentes no evento:

Foto de capa: site viagensecaminhos.com

 

 

 

 

 

 

Compartilhe:

Assine a nossa newsletter
Fique por dentro de tudo que acontece aqui.

CONAFER - 2022