As políticas de Manejo Integrado do Fogo de base comunitária e as ações de combate aos incêndios florestais, que buscam amenizar os efeitos das mudanças climáticas, são vetores importantes de sustentabilidade que a CONAFER desenvolve hoje em diversas partes do Brasil. Foi este trabalho que hoje, dia 5, foi apresentando por Lucas Titon, Secretário Nacional de Comunicação, e representante do presidente da CONAFER, Carlos Lopes, durante a COFO26, a 26ª sessão do Comitê de Florestas da FAO, a Organização de Alimentação e Agricultura das Nações Unidas. O evento tem duração de 3 a 7 de outubro, com a participação online de ambientalistas, cientistas, líderes empresariais e de governos do mundo todo. Em sua participação, Lucas Titon apresentou no painel as políticas da Confederação, como o Manejo Integrado do Fogo de Base Comunitária, os trabalhos de preservação do meio ambiente com integração dos povos indígenas, sua cultura e suas práticas de uso do fogo, e as ações na prevenção de incêndios nas florestas, como a formação de brigadistas por meio da Coordenação de Gestão Ambiental da CONAFER, comandada por Marcelo Santana, articulador do encontro com a FAO, a agência da ONU voltada aos interesses do fomento e desenvolvimento de uma agricultura mundial sustentável

Durante o painel “Trabalhando Juntos para Gerenciar Incêndios pelo Clima e pelas Pessoas”, o Secretário de Comunicação, Lucas Titon, em sua fala, apresentou a Confederação Nacional de Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais do Brasil, hoje uma das maiores representantes de um setor com mais de 10 milhões de pessoas. Ele enfatizou que trabalhar para a agricultura familiar brasileira é também cuidar da preservação do meio ambiente, valorizando as comunidades tradicionais, como os povos indígenas, sua cultura e suas práticas de preservação. 

Afirma também que “um de nossos grandes destaques é o trabalho na prevenção de incêndios em todos os 6 biomas, principalmente na Amazônia, que vem sofrendo com um desmatamento gigantesco. As comunidades indígenas manejam o fogo nas savanas e florestas há milhares de anos. Esse manejo foi suprimido pelos órgãos ambientais governamentais, acompanhando a tendência de implementação de políticas ineficazes de “fogo zero” nas áreas protegidas”. 

O Secretário de Comunicação acrescentou em sua colocação “as consequências desastrosas dessas políticas, e que levaram a CONAFER à implementação de trabalhos de prevenção por conta própria junto aos indígenas, principalmente o manejo integrado do fogo, por meio das queimas prescritas. Este processo começa com o levantamento do conhecimento tradicional, e depois o zoneamento do território, o planejamento, a execução, o monitoramento e avaliação dos resultados, integrado ao conhecimento tradicional e plataformas tecnológicas.”

Ao final de sua fala, o secretário da CONAFER afirmou que “ a Confederação enxerga com bons olhos a inovação que vai trazer para nossa base tradicional e originária uma revolução na forma de gestão do território e preservação de incêndios”. E parabenizou a FAO e o COFO26 pelo trabalho, colocando a CONAFER à disposição para dialogar e planejar ações em conjunto com a agência da ONU.

Alguns participantes desse painel no COFO26:

  • Henry Bonsu (moderador)
  • Tiina Vähänen, FAO
  • Peter Moore, FAO
  • Lara Steil, FAO 
  • Francesco Gaetani, UNEP (Programa Ambiental das Nações Unidas)
  • Jesús San-Miguel-Ayanz, EU JRC (Centro de Pesquisas Integradas da União Europeia)
  • Jina Kim, Diretora da Divisão de Cooperação Internacional do Serviço Florestal Coreano
  • Umit Turhan, Ministro de Agricultura e Floresta da Turquia
  • Martín Monaco, Diretor de Florestas do Ministério do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Argentina
  • Lucy Amissah, Instituto de Pesquisa em Florestas de Gana, Rede Regional de Incêndios Florestais Subsaarianos (AfriFireNet)
  • Petteri Vuorinen, Especialista Sênior em Floresta e Uso da Terra do Green Climate Fund (Fundo Verde para o Clima)
  • Representante do Ministério de Meio Ambiente e Florestas da Indonésia
  • Lucas Titon, Secretário Nacional de Comunicação da CONAFER, representando o presidente Carlos Lopes

Objetivo final desse painel no encontro COFO26: 

Lançamento da publicação “A Importância da Restauração de Território Florestal para Combater Mudanças Climáticas” de Lucy Garrett da FAO

Você pode assistir ao painel no link abaixo.

https://www.fao.org/webcast/home/en/item/5971/icode/

A Plataforma Global de Gerenciamento de Incêndios

Durante o XV Congresso Florestal Mundial, ocorrido em maio passado, em Seul, a FAO e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) anunciaram o desenvolvimento conjunto de uma Plataforma Global de Gerenciamento de Incêndios. O objetivo desta plataforma é fortalecer as capacidades dos países para implementar a gestão integrada do fogo, inclusive por meio do uso do conhecimento indígena e tradicional, ajudando a criar vínculos e conexões de rotina entre grupos regionais focados no manejo do fogo, apoiando os países a alcançar as metas do clima e de sustentabilidade por meio da gestão integrada do fogo. Os representantes das organizações e países presentes contaram como trabalham com o manejo do fogo em suas localidades, em sua maioria aliando novas tecnologias com conhecimentos tradicionais dos povos originários de suas regiões. O objetivo foi a troca de ideias em nível global e consolidação dos trabalhos locais por meio de uma plataforma conjunta de combate aos incêndios.

Ações da Coordenação de Gestão da Ambiental e os Guardiões da CONAFER

Os Guardiões de Proteção Ambiental é uma brigada criada pela CONAFER nas operações de combate ampliado com atividades de prevenção a incêndios. Este trabalho tem sido realizado em muitas terras indígenas, como a de Araribóia, Krikati, Governador e Porquinhos. Em Araribóia, no município de Amarante do Maranhão, 500 km da capital São Luís, reside o povo originário mais ameaçado do mundo, segundo a ONG Survival International, da etnia Awá. A equipe dos Guardiões, da Coordenação de Gestão da Ambiental (CGA) da Confederação, foi acionada para apoiar o Centro Especializado de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) do IBAMA, na Operação Maranhão, tendo à frente Marcelo Santana, responsável pela Coordenação de Gestão Ambiental da Confederação.

Depois de cursos, treinamentos e ações em Minas Gerais, na Bahia e no Distrito Federal, os Guardiões de Proteção Ambiental levaram o seu apoio técnico e operacional também para o Maranhão, em 4 territórios indígenas. Nas capacitações realizadas pelo Prevfogo em Brasília, os servidores da CONAFER se prepararam para auxiliar nas operações de combate ampliado, assumindo funções estratégicas, juntamente com o Comandante do Incidente e a Coordenação Estadual. Foi utilizado o Sistema de Comando de Incidentes (SCI), como ferramenta organizacional, quando a equipe se agrega na operação para apoio técnico na sala de situação e nas ações operacionais de campo. Segundo o coordenador Marcelo Santana, ”esta é uma grande oportunidade dos colaboradores da CONAFER colocarem em prática todos os conhecimentos adquiridos nas capacitações e ao longo dos anos de trabalho com a temática de prevenção e combate aos incêndios florestais”.

Compartilhe:

Assine a nossa newsletter
Fique por dentro de tudo que acontece aqui.

CONAFER - 2022