Bem Vindo a Confederação da Agricultura Familiar

A previsão do tempo é de chuvas intensas, rajadas de vento, raios e queda de granizo nas 3 regiões campeãs em produção de alimentos. Na manhã desta sexta-feira (29), a frente fria que já está no país deve avançar e provocar derrubada das temperaturas em Santa Catarina, no Paraná em Mato Grosso do Sul. Já no período desta tarde, a previsão é que o frio chegue a São Paulo, sudoeste do Mato Grosso e Rio de Janeiro, incluindo a capital. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) ainda aponta para a possibilidade de chuva no leste de São Paulo, especialmente, no litoral, assim como no sul de Minas Gerais e do Rio de Janeiro, porém, mais fraca e isolada. Os ventos também se intensificarão nesta sexta-feira, com rajadas superando 70 km/h no Mato Grosso do Sul, especialmente no sul e sudoeste do estado; e em São Paulo (centro, leste e nordeste)

As temperaturas mínimas previstas para a Região Sul devem ficar em torno de 10ºC na noite de hoje (28), e próximas a zero grau, principalmente, na sexta e no sábado (30). O momento é de proteger a lavoura e a criação dos efeitos das baixas temperaturas. No sábado (30), as baixas temperaturas vão favorecer a ocorrência de geada nos estados da Região Sul e, também, no sul de São Paulo e do Mato Grosso do Sul.

Temperaturas mínimas previstas pelo modelo Cosmo 7km do INMET na madrugada de sábado (30/07/2022)

Domingo

No domingo (31), as temperaturas começam a subir gradativamente, mas persiste a condição de geada nos estados da Região Sul, em áreas isoladas da faixa centro-leste de São Paulo, especialmente no sul, e na Serra da Mantiqueira.

O que é geada?

A geada é um fenômeno atmosférico que forma uma camada fina de gelo que ocorre quando a temperatura do solo está abaixo do ponto de congelamento da água. Este fenômeno pode levar a morte das plantas ou de algumas partes como folhas, ramos e frutos.

A geada normalmente se forma em noites geladas e sem vento. Para que a geada aconteça, o frio faz o vapor de água presente no ar condensar e formar pequenas gotas perto do solo. Ou seja, a geada não “cai”, como a neve, ela é resultado da condensação e do congelamento da umidade do ar em superfícies que estão em temperaturas iguais ou abaixo de 0 °C.

Quais os impactos da geada nas lavouras?

Quando as plantas são expostas a geada, os resultados podem ser negativos trazendo prejuízos dos mais diversos tipos. As perdas podem ser por alterações físicas na estrutura da planta ou até o congelamento e rompimento de parede celular, podendo levar a morte parcial ou total da planta.

Dessa forma, pode ocorrer até mesmo a perda total da lavoura, a depender do estádio em que as plantas estão, se você não tomar nenhuma medida de proteção contra a geada.

Por exemplo, nem o trigo, uma cultura de inverno, resiste a temperaturas extremamente baixas, como mostra este trecho de artigo publicado pela Embrapa:

“Quando ocorre geada na fase de espigamento/florescimento, os danos podem ser muito severos, havendo redução no número de grãos por espigueta e, consequentemente, por espiga.” Fonte

Tipos de Geada

Para entender melhor o assunto, vamos conhecer um pouco dos diferentes tipos de geada:

  • Geada Branca ou Geada de Radiação: é o tipo mais comum, que ocorre quando a umidade do ar está elevada e a temperatura cai rapidamente.
  • Geada Negra: muito mais perigosa para a lavoura, a geada negra congela o lado de dentro da planta. A geada negra acontece em noites de baixa umidade, extremo frio e vento.
  • Canela de Geada: acontece quando a temperatura perto do solo é menor e afeta a parte de baixo do tronco das árvores, sem afetar as folhas.
  • Geada de Advecção: o vento gelado da geada de advecção causa o ressecamento das folhas e, consequentemente, as mata.
  • Geada Mista: quando ocorre Geada de Advecção e, em seguida, Geada de Radiação.

Principais culturas afetadas pela geada

A geada interfere no desenvolvimento das plantas e causa perdas financeiras e na produção de diversas culturas. Saiba mais sobre os tipos de plantas mais afetados na época de frio:

Hortaliças: são muito suscetíveis ao frio e à geada, mas também é uma plantação que pode ser recuperada rapidamente dependendo da situação.

Cana-de-açúcar: a geada pode atrasar a maturação das plantas de cana-de-açúcar, fazendo demorar mais a chegar ao ponto ideal de colheita; onde já foi colhida, a geada atrasa a rebrota da cana.

Milho (safra): no caso do milho, a geada provoca a morte de planta.

Milho (safrinha): no milho de segunda safra, o risco é ainda maior se atrasar o período de plantio. A geada também prejudica a qualidade do produto ou a previsão dela acaba obrigando o agricultor a antecipar a colheita, o que também gera um milho de menor qualidade.

Café: a geada prejudica, especialmente, plantas jovens. Além disso, as ondas de frio intenso sequenciais vão deixando as plantas cada vez mais expostas, o que gradualmente diminui as chances de o café chegar ao ponto de colheita.

Trigo: a partir da floração, quando há geada, existem boas chances de perda dessas plantas.

Como proteger a lavoura da geada?

Para ter maior sucesso na proteção da lavoura contra a geada, você precisa estar preparado e preparar sua lavoura para essa época.

Algumas técnicas que são utilizadas pelos produtores para tentar minimizar os prejuízos em algumas culturas:

Prevenção

  • Escolher o local de plantio de acordo com o zoneamento climático (fora de época de geada) se possível.
  • Evitar plantar cultura sensível ao frio do inverno, usar cultivares mais resistentes.
  • Plantar em estufa com cobertura e controle de temperatura.
  • Não plantar em baixadas e em encostas baixas.

Neblina artificial ajuda a proteger os cafezais

Proteção física

  • Cobrir com lonas as hortaliças cultivadas em campo aberto.
  • Cobrir mudas de café de até 30 cm com uma camada de terra e para plantas de até dois anos cobrir o caule até onde for possível.
  • Ensacar os frutos.
  • Evitar irrigar as culturas antes da geada para não congelar as células vegetais.
  • Instalar cortinas de quebra vento e cobrir com manta as culturas em estufas abertas nas laterais.
  • Queimar serragem com óleo em tonel em pontos estratégicos para diminuir a incidência de geada.
  • Sobrevoar com helicóptero sobre a cultura para mover o ar e impedir que atinja o ponto de geada. Técnica utilizada fora do Brasil, em vinhedos na Europa.

Fortalecimento da planta

Além dessas ações, você deve preparar as plantas com fertilizantes que induzam maior tolerância a geadas, como extratos de algas e aminoácidos.

Conheça alguns produtos da Rigrantec indicados pelos nossos especialistas e que podem ser utilizados para minimizar os efeitos antes e depois da geada:

  • Produto com ação preventiva – BioGainLiq: Fertilizante líquido de ação bioestimulante à base de algas marinhas.
  • Produto com ação corretiva – BioGainAminoLiq: Fertilizante com aminoácidos de ação bioestimulante e rico em nitrogênio.
  • Produto com ação preventiva e corretiva–BioGainPlus: Fertilizante com ação antiestressante à base de algas marinhas e aminoácidos.
  • BioGainNPK😮 uso depois da geada ajuda a estabelecer e desenvolver a planta.

A previsão de tempo e os avisos meteorológicos são divulgados diariamente:

Instagram: @inmet.oficial

Twitter: @inmet_

Facebook: @INMETBR

Tiktok: @inmetoficial

Youtube: INMET

Com informações do Mapa e do site Rigrantec (https://www.rigrantec.com.br/noticia/como-proteger-a-lavoura-da-geada/168)

Assine a nossa newsletter
Fique por dentro de tudo que acontece aqui.