Com a criação dos Guardiões de Proteção Ambiental, a Confederação iniciou recentemente um projeto pioneiro na prevenção e combate aos incêndios florestais, autogestão no manejo das queimadas controladas e entendimento do conhecimento tradicional sobre o elemento fogo. Uma das primeiras ações dos Guardiões foi a capacitação de 35 novos instrutores do PrevFogo, o Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais, em Cavalcante-GO. Agora, uma nova parceria está sendo construída com a Associação Nacional e Internacional de Guarda Parques, para capacitar 25 indígenas com recurso internacional já disponibilizado. Uma proposta de Acordo de Cooperação Técnica com a CONAFER será o instrumento desta ação conjunta. Marcelo Santana, coordenador de Gestão Ambiental da entidade e especialista de campo, e responsável pelos Guardiões de Proteção Ambiental, vem paralelamente realizando com sua equipe treinamentos e cursos, como o de operações aéreas do Ibama, muito importantes quando estamos às vésperas do período de longa estiagem e de um grande número de queimadas pelo país

O coordenador Marcelo Santana é especialista em queimas prescritas, ação preventiva para evitar o surgimento de incêndios durante o período de estiagem, que normalmente ocorre de maio a setembro. As queimadas controladas promovem benefícios ao ecossistema e às comunidades de produtores rurais. Com elas é possível prevenir a ocorrência de incêndios florestais catastróficos, com potencial para queimar grandes áreas de florestas nativas, colocando a vida de pessoas e animais em risco. 

Nesta quarta-feira, 6 de julho, os Guardiões de Proteção Ambiental da CONAFER participaram de uma série de treinamentos e exercícios com a equipe de Operações Aéreas do Ibama, em Brasília, testando o dispositivo de ignição para aplicar nas queimas prescritas. Em abril, já haviam sido executados exercícios aéreos no Território Quilombola Kalunga, área onde vivem 39 comunidades. O aprendizado envolveu o uso de helicóptero na cobertura de uma área de 261 mil hectares no estado de Goiás, que abrange os municípios de Cavalcante, Teresina de Goiás e Monte Alegre. O objetivo da ação preventiva é evitar o surgimento de incêndios durante o período de estiagem, que normalmente ocorre de maio a setembro.

Na foto, equipe dos Guardiões de Proteção Ambiental da CONAFER, no treinamento em conjunto com a equipe de Operações Aéreas do Ibama, em Brasília

As ações implementadas pela união de esforços entre Ibama e CONAFER tem como foco a capacitação dos povos que habitam essas regiões do Brasil mais profundo, para que possam atuar como brigadistas, ampliando a autossuficiência dos seus territórios, assegurando a proteção e preservação da biodiversidade, em total integração com o meio ambiente.

As queimadas controladas promovem benefícios ao ecossistema e às comunidades de produtores rurais. Com elas é possível prevenir a ocorrência de incêndios florestais catastróficos, com potencial para queimar grandes áreas de florestas nativas, colocando a vida de pessoas e animais em risco. 

Segundo Marcelo Santana, “uma vertente forte das queimas prescritas é o extrativismo, com a colheita dos frutos provenientes da prática, uma vez que as áreas que são manejadas com fogo controlado produzem 75% a mais de frutos com relação às que não são, gerando mais renda para essas comunidades”.

No caso de comunidades indígenas, Marcelo Santana, afirma que ações que envolvem o manejo integrado do fogo serem bem-sucedidas, “é necessário cumprir três etapas: sendo a primeira delas o diálogo com os anciões dos territórios com resgate do uso tradicional do fogo; a segunda, buscar formas de integrar o saber ancestral às tecnologias disponíveis na constituição da brigada, capacitando os próprios comunitários; e a terceira, trata-se de mensurar os resultados obtidos pela queima.” 

Assista aos vídeos abaixo:

Compartilhe:

Assine a nossa newsletter
Fique por dentro de tudo que acontece aqui.

CONAFER - 2022