Nesta quarta-feira, 13 de julho, enquanto no canal da TV CONAFER, uma transmissão online reunia 24 prefeitos e secretários de agricultura de 13 estados diferentes, na sede da CONAFER, em Brasília, era selado o acordo de cooperação técnica desta Confederação com duas entidades muito importantes para a agricultura familiar brasiliense, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural – Emater/DF, e a Secretaria de Agricultura, Seagri/DF. Isto demonstra a dimensão que tomou o +Pecuária Brasil, o maior programa de biotecnologia reprodutiva, uma revolução na produção pecuária familiar brasileira. O acordo de cooperação vai beneficiar os pequenos produtores rurais brasilienses, que agora podem multiplicar os rebanhos, de corte e leite, com sêmens de touros provados da Alta Genetics, empresa líder mundial em inseminação artificial e parceira da CONAFER. Estiveram presentes no auditório Pedro Firmino, para a cerimônia de assinatura do termo, a presidente da Emater/DF, Denise da Fonseca, o secretário da Seagri/Df, Candido Teles, e o vice-presidente da CONAFER, Tiago Lopes. Sucesso em todo o país, o +Pecuária já está presente nas 27 unidades da Federação, em mais de 1 mil municípios, multiplicando a produção e melhorando as condições socioeconômicas de milhares de pecuaristas familiares brasileiros 

Desde que a CONAFER e a Alta Genetics, líder mundial em tecnologia de inseminação artificial, criaram o + Pecuária Brasil, os acordos de cooperação técnica com secretarias de estados e municípios se multiplicam, dia após dia, pelos 6 biomas do território nacional. O grande diferencial do programa é a entrega das prenhezes ao pequeno produtor. São projetadas até 2025, milhões delas, todas viabilizadas pela entrega de sêmens e insumos, com a efetiva inseminação e acompanhamento da gestação pelos técnicos da CONAFER até a prenhez do animal. Este é o grande diferencial do programa, pois a prenhez é algo efetivo, que materializa todas as ações do projeto, desde a preparação nutritiva, o manejo do rebanho, a fase hormonal, o processo de inseminação e a gestação do animal.

No auditório Pedro Firmino, na sede da CONAFER, colaboradores da Emater DF, Seagri DF e da Confederação, acompanharam o evento que selou o acordo de cooperação técnica para levar o +Pecuária Brasil aos pequenos pecuaristas brasilienses

Agora, os pequenos produtores brasilienses, podem desenvolver os seus rebanhos bovinos, de corte e leite, contribuindo decisivamente para o crescimento da pecuária nacional. Em pouco tempo, esta verdadeira revolução genética já chegou em todas as 5 regiões brasileiras, em seus 6 biomas, contemplando pecuaristas familiares de Norte a Sul do Brasil em tempo recorde.

O secretário de Agricultura do Distrito Federal, Candido Teles, ressaltou em sua fala, na cerimônia de assinatura, que o acordo é motivo de felicidade, porque “abre um novo caminho para a nossa agricultura leiteira, é uma garantia do melhoramento genético do pequeno produtor, é uma prenhez que vai ser entregue, e vai ter todo um acompanhamento para que no futuro a gente possa melhorar cada vez mais a genética e o rebanho dos produtores de Brasília”. Além de lembrar da importância da Emater no trabalho de seleção dos pecuaristas, Candido Teles agradeceu à CONAFER pela “mão amiga aos que mais precisam nas 27 unidades federativas”.

Em primeiro plano, Denise da Fonseca, presidente da Emater/DF, no centro Tiago Lopes, vice-presidente da CONAFER, e à sua esquerda, o secretário Candido Teles da Seagri/DF durante assinatura do ACT

Denise da Fonseca, presidente da Emater/DF, destacou que “este acordo de cooperação técnica vai fortalecer a pecuária leiteira no Distrito Federal, esta união de esforços será fundamental na execução da atividade de pesquisa, desenvolvimento e de inovação na bovinocultura da capital. Os nossos técnicos estarão empenhados nesta seleção das propriedades com potencial e no acompanhamento da inseminação, a gestão da propriedade, o manejo, a sanidade e de estrutura junto aos produtores. Não temos dúvida que o GDF vai se tornar uma referência no desenvolvimento dos pequenos produtores.”

Antes da assinatura e encerramento do evento, o vice-presidente da CONAFER, Tiago Lopes, agradeceu à Alta Genetics pela parceria, enfatizou a sua liderança no mercado mundial da biotecnologia reprodutiva e convidou o zootecnista Stefan Dörr, gerente Regional da Alta em Brasília, para dizer algumas palavras. Stefan Dörr revelou a sua felicidade “em poder contribuir com algo que é tão importante como a agricultura familiar, e que dificilmente uma propriedade familiar se torna tão sustentável quanto com o uso da inseminação artificial para a produção de leite, algo fantástico, porque onde tem produção de leite, tem alguém para recolher o leite, comprar o queijo, e apesar das dificuldades do mercado leiteiro em todo o mundo, a nossa agricultura familiar permanece, e com o ela o aumento da sustentabilidade, tão importante para o Brasil”. 

O zootecnista Stefan Dörr, gerente Regional da Alta em Brasília, revelou em seu discurso “a felicidade em poder contribuir com algo que é tão importante como a agricultura familiar”

Ao retomar a palavra, o vice-presidente Tiago Lopes, reafirmou o compromisso da Confederação com a agricultura familiar brasileira, e principalmente, com o futuro do segmento e a sua sustentabilidade. O +Pecuária Brasil é uma prova desta responsabilidade de levar projetos e programas para fazer a diferença na vida dos pequenos produtores rurais. 

Para Tiago Lopes, “o que o agricultor de verdade precisa é o acesso à tecnologia, acesso ao crédito, e acesso a tudo que temos hoje de política pública. O Brasil é rural, é o agricultor familiar que sustenta a base brasileira, podemos ser grandes exportadores de commodities, grandes exportadores de matéria-prima, mas o que mantém o nosso país, são os nossos pequenos agricultores. Esta revolução genética que estamos fazendo aqui hoje teve um estudo técnico de veterinários, zootecnistas, a equipe do presidente da CONAFER, Carlos Lopes, todos foram a fundo pesquisar para ver que a técnica reprodutiva do pequeno produtor era ainda da década de 70.” E finalizou falando do grande diferencial do +Pecuária, que é “não levar o sêmen, pois outros programas levavam o sêmen até o município, entregavam o botijão com os sêmens, e deixavam as secretarias, que já tem um orçamento zero, sem a capacidade técnica, sem a capacidade financeira de chegar na prenhez do animal. O objetivo final do +Pecuária é a prenhez. Porque além de utilizar os sêmens dos melhores touros raçadores, tanto de corte, quanto de leite, acompanhamos a gestação e o pós-parto. Só nos damos por satisfeitos quando fazemos o diagnóstico gestacional de 60 dias e dá positivo. Fora isso, voltamos e retornamos para fazer a inseminação até conseguir a prenhez”.

Compartilhe:

Assine a nossa newsletter
Fique por dentro de tudo que acontece aqui.

CONAFER - 2022