Bem Vindo a Confederação da Agricultura Familiar

da Redação

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) estabeleceu os reajustes dos preços mínimos para laranja in natura, trigo em grãos, sementes de trigo, café arábica e café conilon da safra 2022/2023. Os produtos fazem parte da Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM), ferramenta para diminuir oscilações na renda dos produtores e assegurar uma remuneração mínima frente às inconstâncias do mercado. A PGPM atua como balizadora da oferta de alimentos, incentivando ou desestimulando a produção e garantindo a regularidade do abastecimento nacional. Os novos valores constam na Portaria n° 419, publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, 31 de março, e fixados pelo Conselho Monetário Nacional, em 24 de março deste ano. Os preços mínimos passam a ter vigência a partir do mês de julho deste ano, vigorando até junho de 2023

O preço mínimo é o valor estabelecido pelo governo que serve de parâmetro para o mercado, sem gerar qualquer tipo de impacto nas contas públicas, já que os gastos orçamentários das operações do Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM) são condicionados à disponibilidade orçamentária e financeira nas operações oficiais de crédito. Os valores são estabelecidos levando-se em consideração fatores que possam influenciar significativamente nas cotações dos mercados, interno e externo, bem como os custos de produção.

De acordo com a Portaria nº 419, os valores dizem respeito ao Plano Safra 2022/2023, e são válidos a partir deste mês de abril, com validade até o mês de março do próximo ano. O reajuste foi dado ao preço do café arábica, tipo 6, bebida dura para melhor, que recebeu um acréscimo de 64,23%, passando de R$ 369,40 na safra 2021/22 a saca de 60 quilos para R$ 606,66 na atual temporada.

Para o café conilon, tipo 7, o incremento foi de 64,75%, e o preço que era de R$ 263,93 passou para R$ 434,82, no novo plano Safra 2022/2023. A laranja in natura vendida na caixa de 40,8 quilos recebeu um reajuste 36,43% sobre seu antigo valor de R$ 17,76, e passou a custar, de acordo com a nova tabela de referência, R$ 24,23.

As sementes de trigo também obtiveram um incremento de 64,33%, elevando seu valor de R$ 1,98/kg para R$ 3,25/kg. O trigo em grãos também recebeu um reajuste de 64,33% nas três regiões do país onde é produzido (Sul, Sudeste e Centro-Oeste/Bahia), sendo que os três tipos deste cereal nas quatro modalidades especificadas (básico, doméstico, pão e melhorador) foram contemplados com este acréscimo, levando-se em consideração o pH, tabelando os valores entre R$ 34,44 e R$ 95,90 na saca de 60 kg, válido até o mês de junho do próximo ano.

Com informações do Mapa.

Assine a nossa newsletter
Fique por dentro de tudo que acontece aqui.