Nobel da Paz da ONU mostra que CONAFER está no caminho certo ao apoiar Agenda 2030 contra a fome

da Redação

Programa Mundial de Alimentação da ONU recebe o maior prêmio do planeta, lembrando ao mundo que a paz e a erradicação da fome são inseparáveis

Foto: Liberal

A luta contra a fome no mundo ganha o Nobel da Paz 2020. O Programa Mundial de Alimentação da Organização das Nações Unidas, a ONU, foi o vencedor do Prêmio Nobel da Paz de 2020, anunciado nesta sexta-feira, dia 9. O programa foi agraciado pelos seus esforços em combater a fome e por sua contribuição para melhorar as condições de paz em territórios em conflito, lutando contra o prática de usar a fome como arma de guerra. 

Este é o maior programa de combate à fome do planeta e busca promover a segurança alimentar. Apenas em 2019, a agência da ONU forneceu assistência para cerca de 100 milhões de pessoas em 88 países. Nos últimos anos, no entanto, a situação vem se agravando, com 135 milhões de pessoas passando fome, aumento aumentado majoritariamente por guerras e conflitos armados. 

Avião C-130 Hercules da ONU transportando alimentos do PMA para a região de Rumbak, no Sudão. Foto: Wikipédia

Esta premiação é um marco na história do mundo pós-moderno, pois as nações enfrentam uma grave crise alimentar no contexto de uma das maiores epidemias da história. A projeção feita pelo programa é que em um ano pode haver até 265 milhões de pessoas ameaçadas pela falta de comida e apela à comunidade internacional para não deixar o Programa Mundial de Alimentos sem fundos. “A necessidade de solidariedade internacional e cooperação multilateral é mais conspícua que nunca”, disse a presidente do Comitê do Nobel, Berit Reiss-Andersen.

A declaração foi interpretada como uma resposta ao surgimento considerado perigoso de um nacionalismo explícito em diferentes partes do mundo e do populismo de governos que vem atacando ações e orientações da ONU nos últimos anos. A entidade se manifestou por meio do twitter: “Agradecemos ao comitê do prêmio por honrar o Programa Mundial de Alimentos com o Nobel da Paz 2020. Esse é um lembrete poderoso para o mundo de que a paz e o combate à fome caminham lado a lado”.

Parceria CONAFER e PNUD busca segurança alimentar por meio da produção agrofamiliar 

Como representante de uma parcela significativa da agricultura familiar brasileira, a CONAFER atua pelo cumprimento das diretrizes globais da Agenda 2030 da ONU, por meio de ações com o PNUD, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, cujo compromisso é erradicar a fome no planeta sem abrir mão da sustentabilidade. 

Com este prêmio, a parceria com o PNUD reforça que estamos no caminho certo na busca da segurança alimentar. A CONAFER busca a efetiva implementação dos 17 objetivos previstos na Agenda 2030 da ONU cujo os objetivos fundamentais são o fim da fome, a luta por justiça social e a preservação do planeta.

LEIA TAMBÉM:

A Agenda 2030 da ONU é tão importante para a CONAFER que nasceu o CONJUR

AGENDA 2030: COMPROMISSO COM A VIDA É PARA CUMPRIR

A Confederação tenta de forma ativa contribuir para que a Agenda 2030 encontre êxito no Brasil, estimulando a agricultura familiar sustentável, promovendo a moderna agroecologia, levando alimentação saudável para uma nação inteira mesmo diante de situações de calamidade. Como afirmou a agência da ONU, “até o dia em que tivermos uma vacina médica, a alimentação é a maior vacina contra o caos”.

Capa: Nobel

Cadastro dos Agricultores Familiares: cadastre o quanto antes a sua associação

Chegou a hora de cadastrar todos os nossos agricultores familiares.

A CRA, Central de Relacionamento com o Afiliado, veio para garantir a organização, as demandas de mercado, a logística e o crescimento coletivo dos agricultores familiares de todo o Brasil.

A CRA acompanha os status de todas as solicitações feitas à CONAFER. Por isso, a partir de agora, só serão atendidas pela Confederação as entidades que estiverem cadastradas no Sistema Único da Conafer

Então, faça o cadastramento de todos os sindicatos, associações e demais entidades afiliados no seu Estado. A CONAFER tem um canal para esclarecer e auxiliar em todo o processo. Se for necessário, uma pessoa vai ligar e conversar para tirar suas dúvidas.

Acesse sistema.conafer.org.br e clique em registrar-se para fazer os cadastros.

Plantando Alimentos, Colhendo Saúde: dicas de beleza com babosa


Você sabe quais são as vantagens da BABOSA?
A babosa (aloe vera) é utilizada como planta medicinal há milhares de anos, é oriunda da África. Essa planta carrega inúmeros benefícios, vamos listar algum deles para você:

  • Anti-inflamatória
  • Cicatrizante
  • Acelera a cura de problemas de pele como a acne, erupções cutâneas, feridas, cortes e arranhões e picadas de inseto.
  • Combate ao câncer de pele
  • Reduz a celulite
  • Hidratante natural
  • Antirrugas natural
  • Alivia a irritação cutânea

Vamos hidratar o cabelo com babosa?


Corte a folha da babosa lateralmente e retire o gel de dentro, misture esse gel nos cabelos. Deixe agir por 30 minutos, depois enxague. Você também pode misturar o gel da babosa com algum creme que você já utiliza no cabelo.
Isso hidrata os fios, previne caspas e reduz a queda.


Fazendo seu próprio condicionador:

  • Use 3 colheres de sopa de babosa
  • 3 colheres de sopa de óleo de coco


Misture os dois ingredientes até que fiquem na textura ideal, aplique nos cabelos úmidos e deixe agir por 15 minutos, depois enxague.


O gel retirado da folha da babosa também pode ser usado no rosto:

Aplique no rosto, sem deixar ter contato com os olhos e deixe agir por 15 minutos, depois enxague.


Benefícios: secar espinhas, hidratar a pele, clarear manchas, acalmar acnes inflamatórias.

Em Flores de Goiás, CONAFER acompanha entrega de energia elétrica para 800 famílias assentadas

da Redação

Solenidade de inauguração da implantação da rede elétrica nos assentamentos de Castanheira, Cavalcanti, Macambira, Egídio Brunet, Itiara I e II é um marco na história destes agricultores familiares


Foi um dia de festa para os assentados do município de Flores de Goiás, 437 km da capital goiana. Depois de 13 anos de luta, 800 famílias dos assentamentos Castanheira, Cavalcanti, Macambira, Egídio Brunet, Itiara I e II, finalmente receberam sob uma temperatura de 40 graus e um sol causticante, a tão sonhada energia elétrica.


Quem não conhece o verdadeiro Brasil, pode estranhar que ainda hoje centenas de milhares de agricultores familiares brasileiros vivem às escuras após o pôr-do-sol. Mas esta é a dura realidade do campo, e que só está sendo mudada pela luta dos próprios agricultores. Na Castanheira, são 121 famílias lideradas pelo presidente do sindicato SAFER, Josias Ribeiro dos Santos.


Na solenidade de lançamento da implantação da rede de energia, na sede da SAFER, estavam presentes o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, o ministro de Minas e Energia, Beto Albuquerque, o deputado Amilton Filho, o secretário de Crédito Fundiário da CONAFER, Pedro Firmino, e dezenas de famílias assentadas com um largo sorriso no rosto. Mas a estrela do evento foi o incansável e destemido Josias Ribeiro dos Santos, presidente do sindicato SAFER de Flores.


O presidente Josias fez um discurso que emocionou a todos. Este homem nascido em Três Fronteiras, interior de São Paulo, 70 anos, enfrenta uma saga de 13 anos pela fixação e estruturação de 121 famílias que hoje vivem no PA Castanheira. Ele relembra que as famílias acamparam às margens da GO 531, em 2005. E conta que “depois de 9 meses, já em 2006, apesar dos fazendeiros e a polícia pensarem que invadiriam a fazenda, puderam sair do corredor, uma zona de perigo próxima da rodovia, para entrar na Castanheira”.

O presidente do SAFER de Flores, Josias Ribeiro, entrega ofício ao ministro de Minas e Energia, Beto Albuquerque, solicitando a continuidade do projeto com o acesso ao crédito fundiário pelos assentados


A partir daí, a próxima demanda junto ao Incra foi a conquista das RBs (relação de beneficiários) que homologaram 121 famílias. Em 2009, veio o primeiro contrato de concessão de uso, mas o Incra não cortou a terra para os assentados. Josias relata: “pagamos uma empresa privada, e nós mesmos cortamos a terra entre as famílias, e preservando toda a área de reserva ambiental. Ficamos ainda 5 anos reivindicando a terra até conseguir aprovar o seu parcelamento. Não havia energia, não havia água, não havia estrada, não havia transporte.”
Hoje, em determinado momento de sua fala, Josias lembrou que todos bebiam uma água suja da represa próxima do assentamento. Josias deixou a todos com lágrimas nos olhos ao contar a dura realidade dos assentados de Flores.


Os assentamentos da região produzem arroz, feijão, milho, mandioca, gergelim, mel e melancia. Agora com a rede elétrica será possível irrigar as culturas, aumentar a produção e dar conforto às famílias. A internet também será importante nesta nova fase de conexão com o mundo exterior.


Flores de Goiás faz parte do Nordeste goiano, região que receberá novos investimentos do governo estadual

Governador Ronaldo Caiado em seu discurso

O governador Ronaldo Caiado afirmou em seu discurso que o governo federal, por meio do Incra, mandou avançar no processo de titularização destas famílias. Ronaldo Caiado lembrou de sua origem rural, para depois pedir que os assentados deem uma resposta com uma grande produção. Caiado valorizou a obra de ligação de 250km de energia elétrica e 3,3 mil postes para a luz chegar na Castanheira. E prometeu empenhar-se pela emancipação dos assentamentos.


O deputado Amilton Filho e a CONAFER, por meio do sindicato SAFER, intercederam junto ao governo federal para levar a energia elétrica tão aguardada pelos assentados da região. Amilton Filho foi bastante aplaudido ao falar desta grande conquista da agricultura familiar de Flores.

O secretário de Crédito Fundiário da CONAFER ao lado do deputado Amilton Filho

LEIA TAMBÉM:

CONAFER presente no lançamento do crédito habitacional para famílias assentadas


O ministro de Minas e Energia, Beto Albuquerque, levou um recado do presidente Bolsonaro, que não pediu nenhum programa por escrito, mas que fizesse o que é necessário pelos agricultores do Nordeste goiano. É assim que este imenso bioma que mistura Cerrado, Caatinga e Mata Atlântica é chamado. O governador Caiado disse que o seu governo vai investir em pequenas hidrelétricas e no fomento da fruticultura. Inclusive, ele deu uma notícia importante ao dizer que a iniciativa privada faz parte deste projeto, como a Ambev que se comprometeu a adquirir a sua matéria-prima somente dos produtores do Nordeste goiano.


São boas novas para tantos agricultores de mãos calejadas, pele queimada do sol das terras de Goiás e uma angústia que perdurou mais de uma década. Agora, todos podem enxergar um futuro promissor para si e o seus filhos, pois o caminho de um novo tempo finalmente está iluminado.

Secretaria de Agroecologia da CONAFER lança campanha “Plantando Alimentos, Colhendo Saúde”

da Redação

A SEAGRO, Secretaria Nacional de Agroecologia, Políticas Agrárias e Meio Ambiente, por meio de sua equipe de coordenação de saúde, vai trazer toda semana as melhores práticas na prevenção de doenças e cuidados na alimentação

A campanha “Plantando Alimentos, Colhendo Saúde” busca resgatar os saberes populares que sempre foram cultivados em comunidades, as quais utilizavam seus alimentos como o seu próprio remédio. Nosso propósito é recuperar esses valores pelo conhecimento da cultura tradicional. 
O espaço da horta e o ambiente do cultivo é também um lugar de socialização, bem-estar e um caminho de benefícios que a nossa saúde não pode abrir mão. Saber de onde vem nosso alimento e conhecer suas vantagens é fundamental para uma vida saudável. Mas é na sustentabilidade deste sistema alimentar que encontramos o seu maior valor, pois a agroecologia além de produzir nosso alimento, mantém o nosso espaço ambientalmente saudável.

Diversas cartilhas vão orientar sobre alimentação e cuidados na saúde

Semanalmente vamos publicar as dicas e as melhores maneiras para auxiliar na prevenção de doenças e manutenção da saúde, as queixas principais, educação alimentar e outras maneiras de intervenções, pensando sempre no que temos de possibilidades no quintal da nossa casa ou no espaço verde de um apartamento.
O foco da campanha é trazer conteúdos alternativos e educadores como alimentos saudáveis que ajudam a amenizar sintomas, como utilizar e cultivar as ervas medicinais, informativos sobre manutenção de saúde e prevenção de doenças.

O propósito da SEAGRO é ajudar as pessoas a cuidar da saúde de maneira natural, buscando resultados pela fitoterapia e práticas comuns, terapias que adotam o uso interno de substâncias de origem vegetal e mineral, as hortas domésticas e orgânicas, facilitando o acesso da população a alimentos com qualidade garantida.
Este alimentos livres de agrotóxicos e outras toxinas que fazem mal ao nosso organismo, se contrapõem às práticas populares de plantio do alimento, e que teve um grande declínio principalmente devido a urbanização, pois com o tempo e a falta de espaços físicos, a população foi se afastando dessas atividades agroecológicas.
Gostaríamos ainda de propor medidas de retomadas às hortas domésticas, que podem ser consideradas promotoras da saúde, além de serem econômicas e mais saudáveis. Sendo assim, a campanha “Plantando Alimentos, Colhendo Saúde”, nasce com o objetivo de incentivar as pessoas a optarem pelos alimentos naturais, buscando-os bem próximos e no seu cotidiano.
A proposta traz consigo métodos de interação com o público por meio de cartilhas, vídeos e outros meios de comunicação, de forma criativa e de fácil compreensão. As cartilhas terão conteúdo como dicas e explicações de maneira interativa e dinâmica utilizando recursos de linguagem como o “Você sabia?”. 
Faremos também podcasts com conteúdos de 5 a 7 minutos, em um bate- papo informal para esclarecer os assuntos abordados. Tais recursos serão utilizados para facilitar a comunicação com mais conteúdos e informações aos afiliados da CONAFER e à comunidade em geral. Como parte da campanha, traremos a proposta de um calendário anual elencando datas importantes relacionadas à saúde e ao meio ambiente.

Sobre a SEAGRO

VOCÊ SABIA?

Que nós da SEAGRO entendemos e acreditamos na produção de alimento saudável e sustentável, nas famílias envolvidas no cuidado do plantio, em um movimento que consegue interligar outros eixos centrais como o trabalho digno, o empoderamento feminino e a luta pela democracia?
Além disso, não podemos deixar de lembrar nesse momento tão difícil para o meio ambiente brasileiro, da nossa Floresta Amazônica e Pantanal mato-grossense, onde seguem com toda a riqueza de sua biodiversidade ameaçadas nas queimadas desenfreadas e criminosas, consequências aos desmatamentos irregulares nessas regiões.

LEIA TAMBÉM:

CONAFER apoia todos os semeadores da agroecologia


Lutamos e seguimos acreditando nas palavras assertivas de Ana Primavesi, inspiradora do Dia Nacional da Agroecologia comemorado no dia 3 de outubro em homenagem ao seu nascimento, em 1920. Ana Primavesi foi engenheira agrônoma, escritora e uma referência nos avanços de pesquisas sobre o manejo do solo de maneira ecológica. 
Para esta mulher visionária, “sem a natureza não existimos mais, ela é a base da nossa vida. Lutar pelas florestas, lutar pelas plantas, lutar pela agricultura, porque se não vivermos dentro da agricultura, vamos acabar. Não tem vida que continue sem terra, sem agricultura!”

CONAFER apoia todos os semeadores da agroecologia

da Redação

Para comemorar o Dia da Agroecologia, a SEAGRO, Secretaria Nacional de Agroecologia, Políticas Agrárias e Meio Ambiente, está lançando duas cartilhas com informações importantes sobre alimentação e saúde

A criação do Dia Nacional da Agroecologia é uma homenagem ao nascimento (1920) da engenheira agrônoma e escritora, Ana Maria Primavesi, uma referência nos avanços de pesquisas sobre o manejo do solo de maneira ecológica. Primavesi é também uma das principais pesquisadoras da agricultura orgânica, que compreende o solo como um organismo vivo.

É um dia para chamar atenção da sociedade para a importância da agroecologia na saúde de todos e do meio ambiente. Por isso, tornar o cultivo na agricultura familiar totalmente sustentável é uma opção decisiva para proteger a saúde, o planeta e todo o segmento econômico.

No Território Girassóis, em Aiuruoca, MG, a SEAGRO prepara os canteiros para receber as sementes de milho crioulo , mandioca, batata, abóboras e árvores frutíferas em um processo 100% agroecológico.


Defensora das práticas sustentáveis para todo o segmento econômico da agricultura familiar, a CONAFER investe em projetos agroflorestais por meio de SAFs, Sistemas Agroflorestais, que buscam a recuperação de áreas desmatadas em consórcio com a produção agrícola, beneficiando o equilíbrio do ecossistema pela maior absorção do carbono.
A Confederação ainda apoia o controle biológico em todos os tipos de cultura, contrapondo-se ao uso de agroquímicos no controle da produção. E atua na segurança alimentar por meio do cumprimento da Agenda 2030 da ONU pela erradicação da fome no mundo por meio de uma agricultura de baixo carbono.

A Secretaria de Agroecologia da CONAFER lançou duas cartilhas para comemorar a data

A SEAGRO, Secretaria Nacional de Agroecologia, Políticas Agrárias e Meio Ambiente, trabalha pelo resgate da sabedoria ancestral em harmonia com a contemporaneidade, unindo a sabedoria das práticas ancestrais, o conhecimento científico da natureza e as técnicas da moderna agroecologia. 

Para o Dia da Agroecologia, a SEAGRO publica aqui duas cartilhas com informações importantes sobre alimentação e saúde. Leia e saiba mais sobre a importância da agroecologia em nossas vidas e na  sustentabilidade do planeta.

Você sabia que existem plantas que são consideradas medicinais?

É isso mesmo. Algumas plantas possuem ações terapêuticas e farmacológicas que resultam em um alto poder de cura e na prevenção de doenças. Para isso as plantas precisam conter princípios ativos e nós precisamos ter vários cuidados com o cultivo para que essas ações não sejam desperdiçadas. Ficou curioso para saber mais sobre as plantas medicinais? Então acompanhe as nossas publicações que vem muitas novidades por aí. A SEAGRO trará muitas informações pra você aproveitar ao máximo os benefícios dessas ervas!

CONAFER presente no lançamento do crédito habitacional para famílias assentadas

da Redação

Assentados terão cartão magnético para acesso aos recursos de novas moradias ou reformas; Norte e Nordeste serão os primeiros a receber créditos que chegam a R$ 340 milhões

A partir de novembro, as famílias assentadas terão acesso a um novo crédito habitacional. Por meio da Instrução Normativa 101/2020, do Incra, foi regulamentada a concessão do Crédito Instalação para os beneficiários do Programa Nacional de Reforma Agrária, o PNRA. 

A instrução define os procedimentos operacionais e administrativos para a realização do contrato, acompanhamento e fiscalização nas modalidades Habitacional e Reforma Habitacional.

LEIA TAMBÉM:

Cadastro dos Agricultores Familiares: vamos fortalecer o Sistema Único da CONAFER

O projeto, que disponibiliza um total de R$ 340 milhões, abre crédito de R$ 34 mil para a construção de moradia e de R$ 17 mil para reformas. Os recursos serão repassados diretamente aos beneficiários, por meio de um cartão magnético em seu nome. Os beneficiários poderão escolher os técnicos habilitados para elaboração da planta e execução do projeto de construção ou reforma das moradias.

O presidente da CONAFER, Carlos Lopes, ao lado da ministra da Agricultura, Tereza Cristina

Na modalidade Habitacional, o crédito será direcionado à aquisição de materiais de construção e ao pagamento por serviços de engenharia e mão de obra. Para a modalidade Reforma Habitacional, o crédito poderá ser utilizado para a recuperação e/ou ampliação da moradia já existente, localizada nos assentamentos criados ou reconhecidos pelo Incra, o Instituto Nacional da Reforma Agrária. 

Segundo o Instituto, os editais para cadastramento dos profissionais que poderão executar o serviço devem ser publicados ainda em outubro. A expectativa é que os primeiros contratos de concessão de crédito possam ser assinados ainda em novembro. Famílias assentadas das regiões Norte e Nordeste devem ser as primeiras a terem acesso ao benefício, devido à maior demanda local por moradias – conforme o Incra. 

Escolas de assentamentos terão maior acesso à água

Os assentamentos também serão beneficiados com obras nas escolas. Um protocolo de intenções foi assinado entre os ministérios da Agricultura e da Cidadania para implementação de sistemas de captação de água em escolas rurais localizadas em projetos de assentamento do Incra.

A iniciativa visa a universalização do acesso à água nas cerca de 4,5 mil escolas localizadas dentro de assentamentos. Essa ação terá por referência o mapeamento realizado pelo Censo Escolar 2019, que identificou unidades educacionais sem solução de abastecimento ou em condições precárias para o seu acesso.

CONAFER lembra que cuidar da água é proteger a vida

da Redação

No Dia Nacional da Água é importante refletir sobre os recursos hídricos e sua gestão em todo o país; a agricultura familiar sofre diretamente os efeitos das mudanças no ciclo da água


O ciclo da água é o mais importante da vida na terra. Ele ocorre quando as águas dos mares, lagos e rios evaporam, e também pelos processos metabólicos dos seres vivos. É o calor do sol que incide sobre todas as águas que provoca a passagem do estado líquido para gasoso, e daí surgem os ciclos da chuvas em diversas partes do planeta. É o ciclo mais complexo da natureza, com fenômenos de evaporação, transpiração, condensação, precipitação, solidificação, fusão e infiltração da água. A formação de nuvens, neblina, neve e granizo. 

Para a agricultura, conhecer este ciclo e trabalhar conforme as suas alterações, é o maior desafio. O ciclo da água é um ciclo biogeoquímico que garante a circulação da água pelo meio físico e pelos seres vivos, garantindo o movimento contínuo dessa substância. Não existem plantas, vegetais, florestas e lavouras sem água.

LEIA TAMBÉM:

Berço da Águas, Cerrado é protegido pela agricultura familiar

Por todo o país, vemos mudanças deste ciclo. Por exemplo, os rios voadores que levam as águas da Amazônia para o Centro-Oeste, Sudeste e Sul do país. Com as queimadas e desmatamentos, o processo de evaporação na Amazônia é alterado, causando secas em lugares que deveriam receber os rios voadores em forma de chuvas cíclicas. Tudo se altera e falta água onde deveria ter em abundância.

Nas cidades, o saneamento que leva a água de qualidade atinge apenas metade das residências, os córregos a céu aberto são comuns nas grandes periferias, e no caso dos mais pobres, ainda tem a questão do custo mensal da água. Com a impermeabilização desordenada do solo para construir ruas e habitações, acabamos afetando o bem mais precioso que temos. Tudo isto é muito preocupante.


A água na Agenda 2030 da ONU 

Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, os ODS, foram adotados em 2015, a partir da reunião de chefes de Estado e de Governo na sede da Organização das Nações Unidas, em Nova York. Foi uma decisão histórica dos países-membros da ONU para unir forças em prol de uma Agenda Mundial de Desenvolvimento Sustentável, que deve ser cumprida até o ano de 2030.
A CONAFER, por ser uma Confederação Nacional pode contribuir muito para esta Agenda, estimulando a agricultura familiar sustentável em um território continental, promovendo a moderna agroecologia, levando alimentação saudável para milhões de pessoas no Brasil, sempre preservando e cuidando da água que sustenta toda a produção. Em relação ao valor da água, 4 ODS reconhecem a sua importância neste processo de erradicação da fome e a miséria no mundo.

ODS 6. ÁGUA POTÁVEL E SANEAMENTO

A escassez de água afeta mais de 40% das pessoas do mundo, um número alarmante que irá crescer com o aumento da temperatura global do planeta, resultado da mudança global do clima. Mesmo após 2,1 bilhões de pessoas passarem a ter acesso à água potável e de qualidade desde 1980, a possível diminuição desse número é um problema central que impacta todos os continentes.

ODS 12. CONSUMO E PRODUÇÃO SUSTENTÁVEIS

Alcançar o crescimento econômico inclusivo e o desenvolvimento
sustentável requer a redução urgente do avanço das monoculturas de alto carbono, com a mudança no modo em que produzimos e consumimos bens e recursos.

ODS13. AÇÃO CONTRA A MUDANÇA GLOBAL DO CLIMA

Não há país no mundo quem não enfrente os efeitos adversos da mudança
global do clima. A emissão de gases de efeito estufa continua a crescer, e
está 50% maior do que os níveis de 1990. Além disso, o aquecimento global está causando mudanças de longo prazo em nosso clima, com ameaças e consequências irreversíveis se não tomarmos medidas urgentes.

ODS 14. VIDA NA ÁGUA

Os oceanos do planeta – suas temperaturas e vidas marinhas – são responsáveis para garantir que a Terra seja um local habitável. Como
gerenciamos esses recursos é vital para a humanidade como um todo, para contrabalancear a mudança global do clima. 

Oceanos absorvem mais de 30% do dióxido de carbono produzido por humanos e, atualmente, vemos um aumento de 26% na acidificação dos oceanos, desde o começo da revolução industrial. A poluição marinha está alcançando níveis alarmantes, com aproximadamente 13 mil unidades de lixo plástico encontradas em cada quilômetro quadrado do oceano.

Os ODS garantem o gerenciamento sustentável e a proteção dos ecossistemas marinhos e costeiros, assim como combater os impactos da
acidificação dos oceanos. Intensificar a conservação e o uso dos recursos marítimos por meio de leis internacionais também irá colaborar com a
mitigação dos desafios para termos oceanos limpos e sustentáveis.

Cadastro dos Agricultores Familiares: vamos fortalecer o Sistema Único da CONAFER

Chegou a hora de cadastrar todos os nossos agricultores familiares.

A CRA, Central de Relacionamento com o Afiliado, veio para garantir a organização, as demandas de mercado, a logística e o crescimento coletivo dos agricultores familiares de todo o Brasil.

A CRA acompanha os status de todas as solicitações feitas à CONAFER. Por isso, a partir de agora, só serão atendidas pela Confederação as entidades que estiverem cadastradas no Sistema Único da Conafer

Então, faça o cadastramento de todos os sindicatos, associações e demais entidades afiliados no seu Estado. A CONAFER tem um canal para esclarecer e auxiliar em todo o processo. Se for necessário, uma pessoa vai ligar e conversar para tirar suas dúvidas.

Acesse sistema.conafer.org.br e clique em registrar-se para fazer os cadastros.